|
  • Bitcoin 103.324
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5605
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 15/06/2022, 16:36

Nova derrota do Botafogo aumenta pressão da torcida sobre Luís Castro

PUBLICAÇÃO
quarta-feira, 15 de junho de 2022

LEONARDO PEREIRA
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

BELO HORIZONTE, MG (UOL/FOLHAPRESS) - Já são cinco jogos sem vitórias, sendo quatro derrotas consecutivas, e a queda à zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. Nesta segunda-feira (13), o Botafogo voltou a ser vaiado pelo seu torcedor na derrota para o Avaí. O público presente no Nilton Santos chegou a gritar "olé", enquanto o time catarinense tocava a bola. O técnico Luís Castro, pela primeira vez, foi xingado diretamente por quem estava na arquibancada.

Agora, o time se prepara para buscar um revés em jogo contra o São Paulo, nesta quinta-feira (16), às 16h, no estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ), pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Integrantes de uma torcida organizada do time carioca chegaram a invadir o Espaço Lonier, espaço onde o elenco treina, na manha desta quarta-feira (15), para fazer cobranças aos jogadores e à diretoria. O Botafogo emitiu uma nota, à tarde, repudiando a invasão e o comportamento dos torcedores. "A polícia foi acionada e a equipe operacional está monitorando a situação para que sejam tomadas as providências cabíveis", informou o clube.

Quando perdeu para o Goiás em casa, de virada, a torcida também já havia demonstrado insatisfação com o time. Após o jogo desta segunda, o português entendeu o recado vindo das arquibancadas e disse que o torcedor "está no seu direito" de protestar.

"A partir do momento que o resultado ficou adverso, ficou complicado. Ninguém gosta desse resultado. É normal o que acontece, a pressão que colocam em cima de nós. Estão no direito deles", disse o português. Castro classificou como "sequência horrível de resultados" e ressaltou que é preciso que todos deem o melhor de si para reverter o contexto alvinegro.

Até aqui, Castro acumula 12 partidas no comando do Botafogo, com cinco vitórias, três empates e quatro derrotas — não esteve presente à beira do gramado no revés para o Corinthians, na estreia no Campeonato Brasileiro. Um novo resultado negativo diante do São Paulo seria a quinta derrota consecutiva. Em menos de um mês, o clube saiu da disputa pelo G4 para abrir a zona de rebaixamento —ocupa atualmente a 17ª posição, com 12 pontos, seis a menos que o quarto colocado Internacional.

No início do ano, Luís Castro foi disputado entre Botafogo e Corinthians para ocupar o cargo de técnico. O português comandava o Al Duhail, do Qatar e foi anunciado em março pelo Fogão. Quando chegou ao Brasil, foi recebido com festa no aeroporto por torcedores e por John Textor, dono da SAF botafoguense.

A insatisfação momentânea da torcida, no entanto, ainda não reflete na cúpula do time carioca. Para John Textor, Castro é o nome ideal para liderar o projeto. Em recente entrevista ao jornal O Globo, o americano classificou o treinador como seu sócio e disse que a conversa entre os dois foi clara desde o princípio do trabalho.

"Luis Castro é meu sócio e é o líder do nosso projeto. Ele e eu deixamos claro que nosso objetivo este ano era consolidar nossa posição como clube da Série A e construir campeonatos nos anos seguintes. Todos nós sabíamos que ele estava começando a temporada com uma lista de transição de jogadores aspirantes e isso não mudou", disse Textor.

Até o momento, o empresário americano investiu cerca de R$ 65 milhões e trouxe 12 novos jogadores para o elenco do Glorioso em 2022. Há esperança que mais reforços sejam contratados na próxima janela, em julho. O entendimento é que, com esses reforços, e mais tempo de adaptação do trabalho, a equipe se encontrará no campo e sairá da zona incômoda que está atualmente. Basta saber até quando a paciência do torcedor será mantida.

Para o confronto desta quinta-feira, o técnico Luís Castro tem como desfalques confirmados o volante Oyama, que sofreu um trauma no pulmão na última rodada, e o atacante Victor Sá, que também se recupera de lesão, conforme noticiado pelo GE. Eles se juntam a Lucas Fernandes, Diego Gonçalves, Rafael e Gustavo Sauer no departamento médico.

Em contrapartida, o lateral-direito Saravia, que cumpria suspensão na última rodada, está à disposição. Portanto, uma provável escalação do Botafogo tem: Gatito Fernández; Daniel Borges, Kanu, Cuesta e Hugo (Saravia); Tchê Tchê, Kayque e Chay (Lucas Fernandes); Vinícius Lopes, Diego Gonçalves (Matheus Nascimento) e Erison.

O São Paulo, por sua vez, vem de vitória por 1 a 0 contra o América-MG, e busca manter o bom momento para continuar no G4. Com 18 pontos em 11 jogos, o clube tricolor é o terceiro na tabela.

Um dos desfalques confirmados no time paulista é o atacante Caio. O time paulista informou, nesta semana, que o jogador rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho direito, em jogo da Seleção Brasileira Sub-20, e será operado nos próximos dias, podendo perder toda a temporada deste ano. O volante Luan, que foi substituído na partida contra o América-MG após sentir dores, também é dúvida para a disputa, enquanto o zagueiro Diego Costa, que desfalcou o São Paulo na rodada anterior, deve continuar sendo poupado. Talles Costa, Gabriel Sara, Alisson e Nikão continuam no departamento médico do time.

Em compensação, o meia Igor Gomes foi absolvido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), nesta quarta-feira, após ser julgado por expulsão no jogo contra o Ceará, e reforça o elenco contra o Botafogo. Uma possível escalação inicial do técnico Rogério Ceni tem: Jandrei; Rafinha, Miranda, Arboleda e Léo; Igor Gomes, Pablo Maia, Rodrigo Nestor e Reinaldo; Luciano e Calleri.

Estádio: Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)

Horário: Às 16h (de Brasília) desta quinta-feira (16)

Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa/GO)

VAR: Wagner Reway (PB)

Transmissão: TV Globo e Premiere