Rio de Janeiro, 9 (AE) - Apesar de ressaltar que o Vasco é uma "equipe poderosa", o técnico do Necaxa, Raul Arías, acredita nas chances de o seu time se classificar para a final do Campeonato Mundial de Clubes. Para isso, a equipe mexicana vai precisar vencer o Vasco na terça-feira. "Vamos fazer todo o possível para ganhar esse jogo", afirmou. Antes da competição, o treinador surpreendeu a todos ao afirmar que o Necaxa tinha como objetivo conquistar o título do Mundial.
Arías lembrou que a torcida vai lotar o estádio para apoiar o Vasco.
"Mas vamos nos utilizar do espírito mexicano para vencer", afirmou.
Para o técnico, o Necaxa poderia estar em igualdade de condições com o Vasco, caso não tivesse desperdiçado tantas oportunidades nos dois jogos. "Teríamos resultados melhores se tivéssemos aproveitado as jogadas que criamos." O meia equatoriano Alex Aguinaga concordou com o treinador e afirmou que o Necaxa tem de ter paciência para chegar a vitória. "É importante tocar a bola, até que surja o momento certo para tentar o gol", contou.
Arías não explicou se vai montar um sistema especial para parar os atacantes, mas o jogador não acredita que o técnico adote uma marcação especial em Edmundo e Romário. "Com a marcação individual, perde-se um jogador", ponderou.
Para o volante Vigna, a dupla de ataque do Vasco é motivo de preocupação. "A defesa tem de ficar concentrada o tempo todo, porque Edmundo e Romário estão em grande forma e podem definir o jogo a qualquer momento", disse.
Hoje, os jogadores do Necaxa treinaram à tarde no Clube de Futebol Zico (CFZ). A única modificação na equipe deve ser no ataque, pois Delgado está contundido. O mais cotado para substituí-lo é Vázquez, que era titular antes do início do Mundial. Depois de dois pênaltis perdidos pelos seus jogadores, Arías preferiu não definir quem será o cobrador de pênaltis do time. "Qualquer um pode bater", afirmou.
South Melbourne - Apesar da eliminação precoce, o técnico do South Melbourne, Ange Postecoglou, garantiu estar satisfeito com o desempenho do seu time no Mundial. "Agora, fazemos parte da história do futebol mundial", exagerou. O treinador disse que a partida contra o Manchester na terça-feira vai ser "a mais importante na existência do clube".