A meta era de de conquistar medalha com as equipes masculina e feminina no Mundial de Judô. Mas a Seleção Brasileira passou em branco ontem na disputa de países, em Chelyabinsk (RUS). Quem chegou mais perto do objetivo foram os homens, que disputaram amedalha de bronze. Já as mulheres, que levaram a prata no Rio de Janeiro, ano passado, caíram na primeira luta.
A Seleção masculina iniciou a campanha contra a França, do fenômeno Teddy Riner, sete vezes campeão mundial. E conseguiu vencer, por 3 a 2. Mas, no combate seguinte, contra a Alemanha, a equipe acabou derrotada pelo mesmo placar.
Na repescagem, o Brasil encarou Cuba. E obteve nova vitória por 3 a 2. Mas a equipe não brasileira não conseguiu conquistar a medalha de bronze ao ser superada pela Geórgia, por 3 a 2. Assim, a Seleção terminou o Mundial na 5ª colocação.
Nos combates contra Cuba e Geórgia, o Brasil entrou com um ponto de desvantagem por conta da ausência do meio-médio Victor Penalber. O judoca, que havia sentido o joelho direito na competição individual e foi para o sacrifício para ajudar a equipe, acabou não conseguindo continuar na disputa.
- Se o Victor tivesse participado, acredito que o panorama teria sido diferente porque é sempre um atleta muito forte. Ele mostrou um espírito de equipe, de superação e acho que, se a medalha viesse, teria que ter uma homenagem a ele. Mas numa decisão é possível tudo acontecer. Não esperava que o Tiago Camilo perdesse da maneira que perdeu, enfim, faz parte da competição - afirmou o gestor técnico de alto rendimento da Confederação Brasileira de Judô (CBJ), Ney Wilson.
No feminino, a equipe brasileira acabou surpreendida logo na primeira luta pela Polônia: 3 a 2.

Imagem ilustrativa da imagem MUNDIAL DE JUDÔ - DISPUTA POR EQUIPES
Imagem ilustrativa da imagem MUNDIAL DE JUDÔ - DISPUTA POR EQUIPES