Imagem ilustrativa da imagem Messi vê Götze roubar a cena



Messi caiu de pé no Maracanã. Não fez uma Copa do Mundo brilhante, mas foi decisivo em vários jogos. Ontem, nem brilhou, nem decidiu e deixou o gramado sem alcançar sua maior meta no futebol: conquistar um Mundial pelo seu país.
O camisa argentino 10 desfilou no primeiro tempo um pouco do seu enorme repertório. Deu passes, arrancou com a bola dominada, quase abriu o placar e viu Higuaín perder um gol incrível, cara a cara com Neuer.
Com uma marcação forte da Alemanha no meio de campo, e também com a saída de bola da Argentina pressionada, o craque do Barça teve de se movimentar bastante. Alternou jogadas pela ponta e pelo meio, servindo seus companheiros - deixou Lavezzi livre pela direita para cruzar na área e Higuaín, impedido, estufar a rede.
Em uma de suas belas e tradicionais arrancadas, entrou como um foguete pelo lado direito do ataque argentino e tocou na saída de Neuer. A bola sobrou na área, e a zaga afastou o perigo.
Veio o segundo tempo, e com ele mais perigo de Messi. O craque argentino entrou livre pela esquerda e bateu cruzado. A bola passou perto da trave e assustou Neuer. No mais, fez boas jogadas pelas laterais, mas esbarrava na falta de um companheiro para dar sequência nas jogadas de ataque.

Triste adeus...
Se no tempo normal Messi teve bons momentos, na prorrogação ele apagou. Não teve grandes jogadas e viu o jovem Götze sair do banco para escrever seu nome da história do futebol.

Imagem ilustrativa da imagem Messi vê Götze roubar a cena
Primeiro lance de Messi no segundo tempo da partida leva muito perigo ao gol defendido por Neuer