Agência Estado
De São Paulo
O meia Ricardinho vai atuar na partida de amanhã, na final do I Mundial de Clubes da Fifa, no Maracanã, segundo previsão feita ontem pela manhã pelo médico do clube, Joaquim Grava. O jogador deixou o campo contundido aos 30 minutos do primeiro tempo da partida de anteontem à noite, no Morumbi, contra o Al-Nasser, da Arábia Saudita, vencida pela Corinthians por 2 a 0, se transformando numa das maiores preocupações para o técnico Oswaldo de Oliveira. O adversário do alvinegro paulista seria conhecido ontem à noite, no Rio, com o jogo entre Vasco e Necaxa. O Vasco jogava pelo empate.
Ontem à noite, Ricardinho deveria se submeter a uma série de exames, mas deve estar recuperado até amanhã. ‘‘Não vejo nada de grave com ele. O jogador deverá estar em campo sem problemas’’, disse o médico. Ricardinho – cujo filho nasceu ontem em Curitiba – sentiu uma contusão muscular logo depois de marcar o primeiro gol do Corinthians na vitória por 2 a 0 sobre a equipe árabe.
O zagueiro João Carlos, que também deixou o gramado contundido, reclamando de dores musculares, tem situação mais complicada. ‘‘O problema dele é mais grave’’, disse Grava. ‘‘Dificilmente vai reunir condições de jogar na sexta’’, adiantou. Adilson deverá ser mantido na equipe, formando a dupla de zaga com Fabio Luciano.
Marcelinho – Conquistar o título mundial e uma vaga para a seleção brasileira é tudo que o atacante Marcelinho Carioca ainda planeja para sua carreira. ‘‘Tenho certeza que a convocação vira naturalmente, como consequência do título’’, disse o atleta, que já ganhou dois títulos brasileiros e três campeonatos estaduais pelo Corinthians. ‘‘O título vai coroar um trabalho que está sendo feito há dois anos.’’ O jogador, que chegou ao Corinthians há seis anos, vindo do Flamengo, disse que se trata de um ‘‘sonho’’ disputar uma final de Mundial no Maracanã. ‘‘Foi lá que tudo começou’’, disse o atleta. Marcar um gol de falta, uma de suas especialidades, seria o ‘‘máximo’’. ‘‘Sinto que algo de bom está reservado para mim’’, previu.
Marcelinho disse que estranhou a inicial facilidade de classificação, quando o Real Madrid só conseguira vencer o Raja Casablanca, de Marrocos, por 3 a 2. ‘‘Aqui nada é fácil; você nunca vai ver o Corinthians ser campeão com uma rodada de antecedência’’, brincou.
O jogador admitiu que está jogando ‘‘bem abaixo’’ de suas possibilidades. ‘‘Minha canela está no limite; a cada jogo o inchaço aumenta.’’ Mas a contusão não vai tirá-lo da decisão. ‘‘É o jogo que os corintianos estão esperando há muito tempo; vamos fazer o impossível para trazer o título.’’