O ex-técnico da Seleção Brasileira, Wanderley Luxemburgo, corre o risco de ser preso se não comparecer à 8ª Vara Federal Criminal no dia 10 de novembro, data marcada para seu depoimento à Justiça, referente ao processo em que é investigado por suposto crime de sonegação fiscal. ‘‘Se ele tomar essa decisão, sem uma justificativa muito forte, eu peço à Justiça a sua prisão preventiva’’, afirmou o procurador Flávio Roberto, do Ministério Público Federal (MPF). Em sua avaliação, o treinador, ao ser denunciado em setembro, teria de ter comunicado à Justiça que se ausentaria do Rio, onde passou alguns dias, após a disputa da Olimpíada da Austrália. A juíza da 8ª Vara, Valéria Caldi Magalhães, enviou um oficial de Justiça a vários endereços em que Luxemburgo poderia estar na cidade, mas o técnico não foi encontrado em nenhum deles. ‘‘Está claro que o réu está se ocultando’’, prosseguiu Roberto.