estava animado com uma conversa que teve com os demais jogadores. "Deus me livre, conversamos e chegamos à conclusão que no Corinthians se fica velho mais cedo. É tudo sofrido demais. Os árabes nos deram um sufoco que ninguém podia esperar. Todos falaram que a classificação já estava ganha quando o Real Madri ganhou só por diferença de um gol. Mas não foi nada disso. Mesmo cansados e com um jogador a menos fomos tirar força não sei de onde para ganhar de 2 a 0." Sobre a possibilidade de ser campeão do Mundo, Edílson se dizia ansioso demais. "Vamos para o Maracanã certos que a nossa torcida estará lá para nos incentivar. Seja qual for o adversário, o Vasco o ou o Necaxa. E eu não vejo a hora de disputar essa final. Lutamos muito para isso." Marcelinho Carioca também destacava o cansaço do time e a superação de todos para vencer o Al Nssr. "Eles se preparam só para esse Mundial. É lógico que iram correr mais do que nós. O Corinthians tem quase noventa jogos seguidos (88, na verdade). Estamos tirando força da alma para ganhar essas partidas. O que me deixa mais aliviado é saber que na final a vontade será tão grande que ninguém vai lembrar da maratona que enfrentamos." Marcelinho estava tão confiante que até fazia uma promessa. "Nós vamos para o Maracanã ser o primeiro time realmente campeão do Mundo. Uma equipe que passou por tantos problemas como a nossa e chegou tão longe só pode ficar com o título. Eu não tenho medo de falar agora, seremos campeões. O torcedor corintiano tem que acreditar nas minhas palavras."Por Cosme Rímoli São Paulo, 10 (AE) - Quando Rincón marcou o segundo gol do Corinthians, Luizão começou a chorar. Desesperado, não parava de chorar. Seus companheiros tiveram de correr até ele e pedir para que se acalmasse. Mas o artilheiro tinha seus motivos. "Não estava chorando só de alegria. Chorei de agradecimento. O Rincon quando marcou o gol que nos levou à final do Campeonato Mundial tirou um peso enorme dos meus ombros. Eu tinha perdido gols demais. Principalmente um que entrei livre de cabeça. Sabia que a cobrança em mim seria enorme. Graças a Deus o Rincón marcou e estamos na final." Luizão dizia que voltar ao Rio de Janeiro para enfrentar provavelmente o Vasco da Gama na final não seria especial a ele. Mesmo tendo saído brigado com o vice-presidente Eurico Miranda. "Não tenho mais nenhum problema com o Vasco. Tudo o que passou está esquecido. Quero ir com alegria ao Rio e se possível marcar os gols que perdi aqui no Morumbi. Quero ajudar o Corinthians a ser campeão do mundo." Edílson estava todo sorridente ao sair do vestiário. O meia confessava que além da alegria de ganhar a classificação à final