RISCO DE TRANSMISSÃO -

Três jogadores do Criciúma testam positivo para Covid-19; dois estão em Londrina


Vitor Ogawa - Grupo Folha
Vitor Ogawa - Grupo Folha

A notícia de que três jogadores do Criciúma testaram positivo para Covid-19 deixou o clima bastante tenso antes da partida entre a equipe catarinense e o Londrina. Dos três infectados, dois iriam enfrentar o Londrina e vieram para o Paraná. O Tigre recebeu os resultados na noite de domingo.  Seguindo protocolo da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), os exames foram analisados pelo Hospital Israelita Brasileira Albert Einstein, de São Paulo, e mostraram que três atletas tiveram exame positivo para Covid-19. Os nomes dos jogadores não foram divulgados. 


 

O médico do Criciúma, Ricardo Furtado, disse que jogadores foram retirados da relação de jogo.
O médico do Criciúma, Ricardo Furtado, disse que jogadores foram retirados da relação de jogo. | Celso da Luz/Criciúma E.C.
 


O clube informou que os dois atletas que testaram positivo e que vieram para cá foram isolados em seus quartos de hotel. Segundo o Criciúma, esses dois já haviam sido diagnosticados com a doença uma primeira vez há mais de 20 dias.  “Estamos cumprindo o protocolo da CBF e retiramos estes atletas da relação de jogo”, afirmou o médico Ricardo Furtado.




O maior medo é que outros jogadores estivessem infectados. A liberação aconteceu pouco tempo antes da realização da partida. A equipe da Secretaria de Saúde deixou o estádio por volta das 20h20, quando comunicaram o Secretário Municipal de Saúde, Felippe Machado, que o protocolo foi seguido na íntegra. Todos os jogadores do Criciúma apresentaram reagente igg, anticorpos de defesa da doença. 


Recentemente, no domingo, Goiás e Imperatriz não puderam jogar suas partidas devido à confirmação de Covid-19 entre seus jogadores.


Veja a nota oficial do Criciúma:




"O Criciúma, através do seu departamento médico, informa que obteve na noite deste domingo (09/08) a confirmação de três atletas positivados para o COVID-19 através da testagem do Hospital Israelita Brasileira Albert Einstein, em parceria com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) no método de diagnósticos para a detecção RT-PCR. Os exames foram realizados na sexta-feira (07/08) no Centro de Treinamento Antenor Angeloni. Dois atletas já positivaram para o COVID-19 há mais de 20 dias, porém, o exame RT-PCR pode apontar um resultado positivo da doença por um período de 90 dias, mesmo sem estar transmitindo a doença. O terceiro atleta testou positivo no método RT-PCR pela primeira vez e seu exame sorológico mostrou que o mesmo já possui a imunidade para a doença. Porém, o atleta foi retirado da relação da partida de acordo com o protocolo exigido pela CBF. Um dos atletas não estava relacionado para a partida e não viajou para Londrina."

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Tudo sobre:

Últimas notícias

Continue lendo