|
  • Bitcoin
  • Dólar
  • Euro
Londrina

Fim da era SM? 5m de leitura Atualizado em 01/12/2021, 19:13

Prochet acredita em acerto com novos parceiros até o fim do ano

Presidente do LEC negocia há 10 meses com um fundo de investimento, que assumiria o clube e compraria o CT da SM Sports

PUBLICAÇÃO
quinta-feira, 02 de dezembro de 2021

Lucio Flávio Cruz - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

O presidente do Londrina, Felipe Prochet, segue confiante na negociação com um fundo de investimento que pode assumir o futebol do Alviceleste. O dirigente falou pela primeira vez do tema e acredita que até o final do ano o acordo estará definido. 

Felipe Prochet e Sérgio Malucelli negociam parceria do LEC om fundo de investimentos de São Paulo
Felipe Prochet e Sérgio Malucelli negociam parceria do LEC om fundo de investimentos de São Paulo |  Foto: Jefferson Bachega/LEC
 

Alegando cláusulas de confidencialidade, Prochet não revelou valores das tratativas e nem o modelo de gestão que seria colocado em prática pela eventual nova parceria. Confirmou que os empresários são de São Paulo, mas preferiu não tornar público qual é o grupo. 

"A negociação se estende há 10 meses e fizemos um trabalho completo de levantamento das contas, processos, arrecadação e de uma ação civil pública que o clube enfrenta e entregamos aos possíveis parceiros", frisou Prochet. "No começo de novembro, os representantes do grupo ficaram alguns dias em Londrina e foi apresentada uma proposta para o Sérgio Malucelli e depois para uma comissão interna, que foi criada no Conselho de Representantes, para acompanhar este tipo de negociação". 

Leia mais sobre o LEC

Felipe Prochet lembrou que a procura por novos investidores começou no fim de 2019, após a manifestação do gestor em não continuar à frente do futebol alviceleste. A chegada da pandemia do novo coronavírus dificultou qualquer tipo de tratativa e o contrato com a SM Sports foi renovado em 2021 por mais cinco anos. "Nestes dois anos, recebi mais de 15 propostas de parceria, mas esta foi a que sentimos uma seriedade maior". 

O presidente alviceleste deixou claro que o interesse dos empresários é tanto pela administração do futebol quanto pela aquisição do CT da SM Sports. "Eles querem adquirir toda a estrutura do futebol. A proposta só sai do papel se o negócio for casado com o LEC e o centro de treinamentos", garantiu. 

FATOR MALUCELLI

Após a negociação se tornar pública, o gestor Sérgio Malucelli deu algumas declarações afirmando que não acreditava no negócio, em razão dos altos valores envolvidos, e que manteria o planejamento para o próximo ano e cumpriria o contrato até 2025. Prochet ressaltou que estas informações chegaram aos investidores, que se sentiram desconfortáveis em um primeiro momento, mas que ele considera uma situação normal dentro de uma negociação complexa como esta. 

"Vejo isso de uma forma natural, tranquila. Toda negociação tem seus encaminhamentos. O Sérgio (Malucelli) é um homem de negócio e com a proposta na mesa a decisão será dele, não tenho como intervir", apontou o presidente. "A notícia vazou de alguma forma e a definição vai se estender por mais algum tempo".

Felipe Prochet ressaltou, no entanto, que a permanência do LEC na Série B e a volta para a Copa do Brasil em 2022 abrem a perspectiva de um bom ano para o clube. "O planejamento para o ano que vem continua na competência do Sérgio e eu sigo à frente das negociações com o grupo. Estou confiante de que o negócio dará certo, mas ao mesmo tempo, se não der certo, também estou muito confiante no planejamento que me foi apresentado pelo Sérgio". 

Receba nossas notícias direto no seu celular, envie, também, suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link

instagram

ÚLTIMOS POSTS NO INSTAGRAM