LANTERNA -

Londrina vive seca de gols na Série B

Com setor criativo sem inspiração e ataque inofensivo, Londrina marcou em apenas cinco de 13 rodadas; técnico aposta em compactação e reforços

Pedro Marconi - Grupo Folha
Pedro Marconi - Grupo Folha

Em meio a vários problemas que tem apresentado na Série B do Brasileiro, uma tônica do Londrina no campeonato tem sido o ataque pouco efetivo. Com o empate em 0 a 0 com o Confiança no estádio do Café, na terça-feira (21), o time chegou a 180 minutos sem balançar as redes. No duelo anterior, fora de casa, contra o Goiás, também ficou na igualdade sem gols. Em 13 rodadas, o LEC marcou em apenas cinco partidas – sete gols ao todo -, ou seja, em mais da metade da competição disputada até o momento o Alviceleste passou em branco. O último gol marcado por um atacante no Tubarão foi em 17 de junho, quando Salatiel fez no empate por 2 a 2 contra o Botafogo.


 

Revelado pelo Santos, meia Lucas Lourenço, 20, pode ficar à disposição para o jogo desta sexta, contra o Remo, no Café
Revelado pelo Santos, meia Lucas Lourenço, 20, pode ficar à disposição para o jogo desta sexta, contra o Remo, no Café | Ricardo Chicarelli/Londrina Esporte Clube
 


Apesar de maior posse de bola (61%), o Tubarão finalizou menos que o Confiança. Foram 8 finalizações contra 14 da equipe sergipana. A escassez de chutes em direção ao gol e, principalmente, marcar, são reflexo de outra deficiência: o setor de criação. “Nosso setor ofensivo esteve bem longe do que apresentou contra o Goiás. Tem que trabalhar mais, procurar o setor de criação e melhorar para que possamos ter mais chances durante o jogo”, avaliou o técnico Márcio Fernandes. 


O treinador ainda reclamou da atuação da arbitragem, que não sinalizou pênalti em cima do atacante Safira. “O lance capital do jogo foi o Safira, em que ele (árbitro Elmo Alves Resende Cunha) teria que expulsar o zagueiro e dar o pênalti, não fez isso”, protestou, destacando que o foco no trabalho nos próximos dias será deixar o time mais compacto. Fernandes desconversou se deverá mudar a formação, atualmente no 4-3-3, para conseguir uma proximidade maior entre os setores. 


“Quando chegávamos ao ataque e perdíamos a bola tinha um clarão muito grande do ataque para o meio, onde a equipe do Confiança roubava a bola e conseguia contra-atacar. Temos que procurar melhorar para que possamos estar mais no campo adversário e, consequentemente, ter muita chance de criação”, projetou. O Londrina é o lanterna da competição, com nove pontos.


OPÇÕES

A esperança para virar a maré e dar mais qualidade ao elenco é a chegada de reforços, como Lucas Lourenço e Gegê. O comandante alviceleste comentou que os atletas podem ser viáveis, inicialmente, para substituição no segundo tempo, como opção a Celsinho. Para o confronto de sexta-feira (23), com o Remo, às 16h, no Café, apenas Lucas Lourenço deverá estar à disposição, por apresentar plena condição física. 


“Estamos procurando a regularização do Gegê, é um meia de criação, o Lucas Lourenço, que vem do Santos, está em atividade. Aí sim vai abrir um leque maior para esse setor de criação. No momento tínhamos o Celso e não via dentro do grupo outro jogador que pudesse fazer o mesmo papel que ele está fazendo”, ressaltou o treinador. 


CURRÍCULO

Será a primeira oportunidade de Lucas Lourenço, que tem 20 anos, em uma equipe profissional fora do Santos, onde foi relevado na base. Neste ano atuou em 11 partidas pelo Peixe, entre Paulista e Libertadores. “Chegando para ajudar. Sou um meia amador, gosto de dar assistência, de fazer gol, sou bom no um contra um”, elencou, mostrando seu cartão de visita para o torcedor do Londrina. 

Já Gegê tem mais experiência. Aos 27 anos, passou por seis clubes e disputou a segunda divisão nacional, inclusive, trabalhando com o técnico Márcio Fernandes na época de Botafogo-SP e ABC. “Conheço o estilo de jogo dele e com certeza isso vai me ajudar. Vou procurar me adaptar ao clube, porque o treinador sabe como trabalha. Tenho um bom chute e bom passe.” 


 

O meia Gegê, 27, que jogou com Márcio Fernandes no Botafogo-SP, ainda não foi regularizado
O meia Gegê, 27, que jogou com Márcio Fernandes no Botafogo-SP, ainda não foi regularizado | Ricardo Chicarelli/Londrina Esporte Clube
 


Próximo adversário do LEC, o Remo venceu o Cruzeiro por 1 a 0, na terça-feira, no estádio Baenão, engatando o terceiro triunfo consecutivo. O lateral Luiz Henrique e o zagueiro Lucas Costa levaram o terceiro amarelo e estão fora do próximo jogo no lado do Tubarão. 


Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo