Estadual -

Londrina teve três treinadores ao longo do Paranaense

Clube começou com Silvinho Canuto no comando, teve Roberto Fonseca e por último Márcio Fernandes

Lucio Flávio Cruz - Grupo Folha
Lucio Flávio Cruz - Grupo Folha

Um dos Campeonatos Paranaense mais longos da história - começou em fevereiro e só acabou no dia 13 de outubro - terminou com o Londrina campeão com uma campanha de cinco vitórias, 11 empates e uma única derrota. 



 

Márcio Fernandes dirigiu o Londrina em apenas um jogo no Paranaense
Márcio Fernandes dirigiu o Londrina em apenas um jogo no Paranaense | Ricardo Chicarelli/LEC
 

O LEC só foi conquistar a sua primeira vitória na oitava rodada - 4 a 0 sobre o Cascavel CR. Até então, foram seis empates e uma derrota. Com isso, a troca de técnicos se tornou algo normal no clube. Após o acesso para a série B, Silvinho Canuto foi mantido para o Estadual, mas resistiu apenas três rodadas.


Roberto Fonseca foi contratado de olho também na série B. E foi a campanha ruim no Brasileiro que derrubou o treinador. Apesar de ter classificado o time para a semifinal do Paranaense, Fonseca deixou o clube após perder para o Guarani por 1 a 0, na 10ª rodada. O LEC era o 19º no Brasileiro.


No confronto decisivo em Ponta Grossa, o LEC também poupou vários jogadores e o time foi dirigido pelo Roberto Fonseca Júnior, auxiliar do pai, que permaneceu em Londrina preparando a equipe para a série B.


Márcio Fernandes comandou o Tubarão apenas no primeiro jogo da final com o FC Cascavel, no estádio do Café. E seu filho e auxiliar, Márcio Fernandes Júnior entrou na foto no jogo decisivo, que terminou com o quinto título estadual alviceleste. 


Receba nossas notícias direto no seu celular, envie, também, suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link 

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo