COM VEEMÊNCIA -

LEC nega "pedágio" para jogadores atuarem no time

Denúncia de suposto empresário que circula nas redes sociais diz que clube estaria cobrando para atletas jogarem no time principal

Pedro Marconi - Grupo Folha
Pedro Marconi - Grupo Folha

O Londrina, por meio de extensa nota divulgada em seu site no fim de semana, negou que esteja cobrando “pedágio” de atletas para atuarem no time principal. Fotos, documentos e áudios que começaram a circular recentemente nas redes sociais, divulgados por um suposto empresário, denunciam que o LEC estaria adotando a prática.  


LEC nega "pedágio" para jogadores atuarem no time
Gustavo Oliveira/LEC
 



O material publicado nas redes sociais diz que o Tubarão, por meio do seu gestor, Sérgio Malucelli, teria cobrado R$ 80 mil para um jogador ficar na equipe no ano passado, com ele recebendo do time uma ajuda de custo de R$ 2,5 mil por mês. Um novo contrato teria sido celebrado em janeiro deste ano garantindo a chegada de mais dois atletas, com a promessa de repasse ao clube de R$ 290 mil.  




O empresário teria divulgado a negociação por não ter recebido parte de um dinheiro combinado e pela maneira com que um jovem jogador supostamente teria sido tratado por Malucelli. No texto, o Londrina rechaçou qualquer possibilidade de existência do esquema relatado. “Essa é uma prática que nunca aconteceu no nosso passado. Não acontece no presente e jamais irá acontecer no futuro. O Londrina é um clube grande, que não aceita esse tipo de prática.” 


O clube ainda definiu a pessoa que seria a denunciante como “sem gabarito e capacidade cognitiva mínima". “Veiculação orquestrada por pessoas de caráter duvidoso, com um único objetivo: prejudicar o Londrina Esporte Clube”, pontuou a nota. O Londrina também frisou que irá “acionar juridicamente quem promoveu a difamação” e que está averiguando se houve ofensa de ordem moral. 

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Continue lendo


Últimas notícias