Brasileiro -

LEC desafia estatísticas e se apega ao passado para se manter na Série B


Lucio Flávio Cruz - Grupo Folha
Lucio Flávio Cruz - Grupo Folha

O Londrina luta contra as estatísticas e se espelha no passado para permanecer na Série B. De acordo com o Departamento de Matemática da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), o clube tem 76% de probabilidade de cair para a Série C - Vitória tem 91%, e o Remo, 32%. 

 

Mas foi em um confronto com o Vasco em São Januário que o Tubarão teve uma das atuações mais memoráveis da sua história, no Brasileiro de 1977. Além disso, no último confronto entre os dois times, o Londrina venceu de virada por 2 a 1, também na casa vascaína, pelo primeiro turno. 


No domingo (28), o Alviceleste espera que o jogo contra o Cruzmaltino também fique gravado como a partida que manteve o clube na Série B. As duas equipes se enfrentam pela última rodada, às 16h, no estádio do Café.

 

Mossoró: "Temos que primeiro fazer o nosso dever de casa para depois torcer contra o Remo"
Mossoró: "Temos que primeiro fazer o nosso dever de casa para depois torcer contra o Remo" | Ricardo Chicarelli/LEC
 

Para muitos, a "Batalha de São Januário" em 1978, vencida pelo LEC por 2 a 0, com gols de Brandão e Carlos Alberto Garcia, foi o maior jogo da história alviceleste. A partida valeu a classificação para a semifinal do Campeonato Brasileiro da Séria A de 1977 - a competição terminou em 1978. Foi o maior público até hoje do estádio vascaíno, com mais de 44 mil pessoas em São Januário, e o Londrina fechou o Brasileiro em quarto lugar, após perder a semifinal para o Atlético Mineiro. 


A realidade dos clubes é bem diferente hoje, mas o confronto de domingo também é muito importante. O time carioca já está eliminado e só cumpre tabela. Para o LEC é a última esperança de evitar o rebaixamento. O Tubarão precisa vencer a partida e torcer por tropeço do Remo no confronto com o Confiança, em Belém.


Leia mais sobre o LEC

Na história recente, Londrina e Vasco se enfrentaram três vezes pela Série B nos últimos anos. Em 2016, o Cruzmaltino ganhou as duas partidas por 1 a 0. Na ocasião, o Vasco cumpriu o seu mando de campo na Arena Amazônia, em Manaus. No confronto deste ano, no primeiro turno, o LEC deu o troco e venceu de virada por 2 a 1, com gols de Safira e Marcelinho, em São Januário.


Sequência

Apesar de já ser o fim da temporada, quem comemora o momento é o meia Mossoró. Contratado para ser a solução para a camisa 10 alviceleste, o jogador teve várias lesões e ficou afastado por mais de quatro meses. Como consequência, só participou de oito das 37 partidas do LEC na Série B. 


"Infelizmente tive esta lesão no início e isso me prejudicou muito. Agora com esta sequência estou procurando dar o meu melhor e evoluindo física e taticamente para ajudar o time neste momento decisivo", afirmou o jogador. Mossoró voltou a ser utilizado no segundo tempo do jogo contra o CRB na 35ª rodada e depois foi titular nas duas últimas partidas, diante de Ponte Preta e Vila Nova. 


Sobre o confronto com o Vasco, o meia entende que o Londrina tem que focar na sua partida e esquecer o jogo entre Remo e Confiança. "Temos que fazer o nosso dever de casa e depois torcer contra o Remo. Estamos focados nos treinamentos da semana e trabalhando forte para fazer a nossa parte", frisou. 


O LEC inicia a última rodada da Série B em 17º lugar, com 41 pontos, um a menos que o Remo. Outro time que briga contra o rebaixamento é o Vitória, que aparece na 18ª colocação, com 40 pontos. O time baiano enfrenta o Vila Nova, no Barradão. O Vasco, em nono lugar, com 49 pontos, só cumpre tabela. 



Receba nossas notícias direto no seu celular, envie, também, suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo