|
  • Bitcoin 121.291
  • Dólar 5,0427
  • Euro 5,2130
Londrina

Londrina Esporte Clube

m de leitura Atualizado em 31/07/2022, 17:01

"Falhas existem", avalia Adilson após empate com gol contra no Café

Técnico do Tubarão destaca reação do time para buscar a igualdade em jogo diante do Criciúma; time fica em sexto na classificação

PUBLICAÇÃO
domingo, 31 de julho de 2022

Edson Neves - Especial para a FOLHA
AUTOR autor do artigo

Foto: Ricardo Chicarelli
menu flutuante
Adilson Batosta e Cláudio Tencati no duelo de sábado: empate deixa o Tubatão em sexto lugar Adilson Batosta e Cláudio Tencati no duelo de sábado: empate deixa o Tubatão em sexto lugar
Adilson Batosta e Cláudio Tencati no duelo de sábado: empate deixa o Tubatão em sexto lugar |  Foto: Ricardo Chicarelli
 

O técnico Adilson Batista buscou poupar a defesa alviceleste de críticas após a falha do goleiro Matheus Nogueira resultar no gol do Criciúma, na partida em que terminou empatada por 1 a 1 no Estádio do Café, sábado (30). No lance, aos 26 minutos do primeiro tempo, o zagueiro recebeu de Gegê e recuou para o goleiro, que fora de posição não conseguiu dominar a bola, resultando em gol contra. O Tubarão empataria aos 41 com o lateral-direito Denilson, de cabeça.

“Ali foi uma fatalidade. Falhas existem. Ainda bem que foi no início e tivemos tempo de recuperar, o que não seria possível se fosse aos 45 do segundo tempo. (Vilar) é um menino que confio. Procurei incentivar e mostrar que aquilo faz parte do jogo”, respondeu Batista sobre o jovem defensor e o experiente goleiro. 

Perguntado se o gol contra teria afetado o desempenho do Tubarão no restante da partida, Batista discordou. “Erros vão acontecer. Não foi em função disso. Nós reagimos, tivemos mais volume de jogo e empatamos. O adversário veio com uma proposta, se fechou, e mesmo assim tivemos mais finalizações que eles. O Matheus foi exigido poucas vezes, então não vejo por esse lado”, comentou.

Por outro lado, o comandante alviceleste admitiu que o Tubarão errou mais do que o normal, principalmente no segundo tempo, e que as substituições não funcionaram. “Tivemos as dificuldades de domínio, passe e tomada de decisão. Vamos nos alertar para entrar melhor nos próximos jogos. A intenção é sempre melhorar. A ideia das mudanças no ataque era de ser mais agressivo, incomodar a defesa do Criciúma, que estava recuada” explicou o técnico, justificando as saídas de Douglas Coutinho e Gabriel Santos por Matheus Lucas e Mirandinha.

LEIA TAMBÉM: 

Com gol contra bizarro, LEC fica no empate no Café

O nervosismo do time, principalmente no segundo tempo, foi notado pelo técnico do Tubarão. “Não tem a necessidade da ansiedade. Você quer intensidade, velocidade, uma transição rápida, mas às vezes é preciso segurar a bola. Se não for fazer tudo isso, vai trocando passes. A gente vai mostrando, explicando. Comigo é assim”, completou.

No fim das contas, Batista procurou valorizar o ponto conquistado. “Claro que gostaríamos de ter vencido, mas temos que pontuar. Tivemos algumas dificuldades, mas não sofremos no jogo e pontuamos. Vamos caminhando”, finalizou. 

O próximo compromisso do Tubarão pela Série B será contra o Novorizontino, fora de casa, no sábado (6), às 19 horas. O alviceleste é o sexto colocado da competição, com 30 pontos.

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.