VIRANDO A CHAVE -

Efeito colateral

Tubarão busca inspiração na vitória pelo Paranaense para desencantar na Série B no fim de semana

Pedro Marconi - Grupo Folha
Pedro Marconi - Grupo Folha

Logo após o apito final que decretou a vitória do Londrina por 1 a 0 em cima do Operário na quarta-feira (9), pela ida da semifinal do Paranaense, o Alviceleste já passou a visar outro desafio importante que terá pela frente. No domingo (13), o time vira a chave e volta a disputar a Série B do Brasileiro. O duelo será diante do Coritiba, na capital do Estado, às 20h30. 


 

Efeito colateral
Ricardo Chicarelli/Londrina Esporte Clube
 


O LEC entrará em campo pela terceira rodada e vai ter que buscar o que não conseguiu neste início de competição: somar três pontos. Nas duas partidas disputadas até agora o time acumulou um empate e uma derrota. Apesar de campeonatos diferentes, o técnico Roberto Fonseca destacou que o triunfo no Estadual vem ao encontro do que o time tem procurado na segunda divisão nacional. 


“Temos buscado essa vitória. Dá alento por termos feito jogos muito bons fora de casa. Que possamos continuar nessa crescente, atrás do resultado para ‘entrar’ na competição e ir melhorando na tabela”, destacou em entrevista à TV LEC. O Tubarão figura na 16ª colocação da Série B, com 1 ponto. “Estamos vindo de dez jogos com apenas uma derrota, 13 gols feitos, tomamos apenas dois. Aproveitamento bom. Pensamos sempre na Série B e estamos fazendo uma ‘trinca’ legal de paranaenses.” 


No Paranaense, em maio, o Londrina levou a melhor sobre o próprio Coritiba, vencendo no Café. “É uma equipe qualificada, contratou pouco em relação ao que tinha para o Estadual. Tinha estudado para o jogo aqui (na primeira fase do Paranaense) e é praticamente a mesma equipe. Não é fácil jogar contra, sabemos a dificuldade que teremos pela frente. Temos que melhorar, qualificar e buscar o resultado”, elencou. 


O elenco azul e branco iniciou nesta quinta-feira (10) a preparação para o duelo. O treinador terá à disposição vários atletas, como os laterais Talison e Ricardo Luiz e o volante Tarik, que não puderam ser relacionados na quarta por não estarem inscritos no Estadual. Fonseca não descartou uma eventual mudança entre os titulares. “Tem a possibilidade de mexer, voltam jogadores. Não sou um treinador de ficar mudando. Penso que tem que dar ritmo, entrosamento e melhorar aquilo que estamos fazendo. Com mais opções têm mais condições”, despistou.  


HORA DO ADEUS

O atacante Uelber deixou o Londrina. O jogador publicou nas redes sociais um texto de despedida, em que se disse muito grato ao clube onde foi revelado. “Cresci profissionalmente e como pessoa. Graças ao Londrina tive minhas primeiras oportunidades e não tenho palavras para agradecer tudo que fizeram por mim todo esse tempo”, postou. O atleta de 23 anos ficou sem espaço neste ano diante da grande concorrência na posição. 


Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo