TAPETE VERDE -

Descompactação e chuva deixam o gramado do estádio do Café "no ponto", diz FEL


Vitor Ogawa - Grupo Folha
Vitor Ogawa - Grupo Folha

Se o desempenho do Londrina Esporte Clube não está bom na Série B, ao menos a qualidade do gramado agora poderá não servir de argumento caso as coisas não saiam bem nos jogos em casa. No dia seguinte à partida contra o Coritiba, em 1º de setembro, a Prefeitura de Londrina, por meio da FEL (Fundação de Esportes de Londrina), deu início ao processo de descompactação do gramado do estádio do Café, numa tentativa de melhorar seu aspecto, alvo de críticas recorrentes de jogadores do próprio Londrina e de outras equipes que vêm jogar aqui.


 

Descompactação e chuva deixam o gramado do estádio do Café "no ponto", diz FEL
Roberto Custódio
 


Segundo o presidente da Fundação, Marcelo Oguido, o processo com o maquinário levou dois dias para ser feito. “Fizemos a descompactação na quinta (2) e sexta-feira (3), logo após o jogo contra o Coxa, e nos outros dias realizamos o processo de recuperação do gramado. Primeiro fizemos o corte geral da grama, depois sugamos toda a palha do gramado e só depois uma máquina entrou raspando tudo. Na sequência entrou um trator fazendo furos, tirando toletes de adubo e terra que estavam compactados e que evitam que os nutrientes sejam absorvidos”, explicou. O procedimento é realizado com equipamento profissional, que perfura o gramado por meio de pinos de 15 a 25 cm de extensão. 


Com a aeração do gramado, a técnica de "top dressing", fertilização e remoção do excesso de grama conhecido como “colchão” ou “thatch”, o gramado tem condições de permanecer saudável. Assim, são garantidos o crescimento de novos brotos de grama, fortalecimento das raízes e uma absorção maior dos nutrientes e adubos aplicados.


Já o "top dressing" é a aplicação de mistura de areia lavada com fertilizantes e substratos para gramados. Feito com o uso do equipamento chamado top-dresser, seu objetivo é regularizar a superfície ao mesmo tempo em que adiciona nutrientes ao solo. “Para a recuperação, o adubo precisa pegar na grama, aí entraram os fertilizantes, a areia e a irrigação”, destacou Oguido.


REESTREIA SÁBADO

“O principal agora é a recuperação. Uma coisa que a gente precisou muito foi a chuva. A gente estava rezando para que chovesse e isso ajudou muito. Para o jogo contra o CSA o gramado já está em condições de jogo”, destacou o presidente da FEL, mencionando o primeiro compromisso do Londrina no "novo gramado", neste sábado (18), contra o CSA, pela 24ª rodada da Série B.


Antes dessa recuperação, a última vez que serviço semelhante havia sido feito foi em maio do ano passado. O serviço custou R$ 68 mil e foi realizado pela empresa Grasstecno Gramados, Paisagismo e Serviços Ltda., de Colombo.


Oguido ressaltou que a demora ocorreu porque não havia uma brecha no calendário que possibilitasse a reforma. “Para se ter uma ideia, o Campeonato Paranaense ainda nem acabou. O acúmulo de jogos foi grande e a gente estava esperando esse espaço e programamos para fazer agora”, apontou.


Ele explicou que a empresa dará de brinde uma revisão do gramado daqui a dois meses sem custos para a FEL e em janeiro fará uma segunda descompactação. “Em janeiro não haverá jogos por lá e vai ser possível fazer esse serviço novamente”, apontou o presidente da FEL.


Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo