|
  • Bitcoin 105.001
  • Dólar 5,2201
  • Euro 5,4921
Londrina

Injúria Racial

m de leitura Atualizado em 25/05/2022, 16:43

Athletico e torcedor são punidos por racismo contra lateral do LEC

Clube foi multado em R$ 20 mil e torcedor que xingou o jogador Samuel Santos está proibido de frequentar estádios por seis anos

PUBLICAÇÃO
quarta-feira, 25 de maio de 2022

Lucio Flávio Cruz - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

O Athletico e um torcedor do rubro-negro foram punidos pelo TJD-PR (Tribunal de Justiça Desportiva) em função das ofensas racistas proferidas contra o lateral Samuel Santos, do Londrina. O julgamento ocorreu na noite de terça-feira (24) e a decisão é da 2ª Comissão Disciplinar. 

Injúria racial aconteceu no segundo tempo do confronto realizado na Arena da Baixada Injúria racial aconteceu no segundo tempo do confronto realizado na Arena da Baixada
Injúria racial aconteceu no segundo tempo do confronto realizado na Arena da Baixada |  Foto: Rui Santos/Onzex Press e Imagens/Folhapress
  

O ato de injúria racial contra o jogador aconteceu no jogo entre Athletico e Londrina pelas quartas de final do Campeonato Paranaense, no dia 20 de março, na Arena da Baixada. O torcedor, que foi identificado e preso em flagrante, usou os seguintes termos racistas: "seu preto, vera verão". 

Samuel Santos registrou boletim de ocorrência e foi ouvido pelas autoridades policiais. Após dar a sua versão do caso também, o torcedor pagou uma fiança de R$ 500 e foi liberado da prisão. O ocorrido foi relatado pelo árbitro da partida na súmula. 

O Athletico foi punido com multa de R$ 20 mil, mas absolvido da possibilidade da perda de mando de campo e pontos, pois os auditores entenderam não ser de extrema gravidade a conduta do torcedor. O torcedor atleticano foi condenado à pena de 2.160 dias - quase seis anos - sem poder frequentar a Arena da Baixada. De acordo com o TJD, o Athletico será responsável por evitar a entrada do torcedor no seu estádio, que possui controle biométrico de acesso. Cabe recurso da decisão ao Pleno do TJD-PR. 

“Não há como se medir a dor sentida pelo ofendido, o qual sente não somente no momento, mas estes crimes têm o condão de permanecer no íntimo do ofendido, trazendo-lhe dor e sofrimento por muito tempo. Este crime precisa ser combatido e rigorosamente punido”, afirmou o advogado do LEC, Eduardo Vargas. 

Mudança

A CBF atendeu o pedido do Londrina e modificou a data do confronto contra o Vasco pela 13ª rodada da série B. Anteriormente marcada para a sexta-feira, 17 de junho, a partida será no sábado (18), às 16h, no estádio do Café. 

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link