TUDO IGUAL -

Abaixo da crítica

Em partida sofrível, LEC fica no zero com o vice-lanterna do Paranaense e perde mais uma posição na tabela

Pedro Marconi - Grupo Folha
Pedro Marconi - Grupo Folha

Abaixo da crítica
Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube
 



Apático, lento, sem transição e força de ataque. O resumo do desempenho do Londrina no domingo (9) é o reflexo do empate sem gols com o Cascavel CR em pleno estádio do Café. O time da região Oeste do Estado é o vice-lanterna do Campeonato Paranaense. O jogo ruim, que resultou em um ponto, fez o LEC perder mais uma posição na tabela, figurando agora na sexta colocação, com nove pontos. 


Após o apito final o técnico Alemão reconheceu o confronto abaixo da crítica de ambas as equipes. Ele classificou o duelo como “horrível”. “Não teve quase chances de gols para lado nenhum, não teve criatividade, velocidade, intensidade, não teve nada. Foi um jogo muito abaixo do que estamos acostumados, principalmente do lado da nossa equipe, que costuma ter intensidade e velocidade", elencou. 




O Tubarão atuou sem Marcelinho, lesionado, e com o volante Julio Rusch improvisado na lateral esquerda no lugar de Igor Miranda, que sentiu uma contratura. Segundo o comandante alviceleste, as ausências atrapalharam. "Não acho que merecemos ganhar, mas também acho que não merecemos perder, porque foi um jogo muito igual e abaixo do nível técnico, individual e coletivo", afirmou. 


A sequência de compromissos neste início de temporada, com sete jogos – entre Estadual e Copa do Brasil – em 20 dias também foi apontada como um aspecto que prejudicou. A falta de uma pré-temporada maior foi outra justificativa para a queda de rendimento. “Infelizmente estamos vindo de uma sequência muito grande de partidas e isso ocasionou um desgaste, viagens longas. É rever nossos erros para ir em busca dos três pontos no próximo jogo”, ponderou o zagueiro Willian Correia. 


POUCO FUTEBOL

Com o Cascavel CR recuado e preenchendo os espaços no meio de campo, o Londrina teve dificuldades para criar. Quando conseguia, errava no passe final. A primeira jogada de ataque foi dos visitantes, com Renê, para defesa de Matheus Albino. Matheus Bianchi e Danilo tentaram de fora da área, porém, mandaram para fora. A principal chance foi da Serpente Tricolor aos 32 minutos, quando Rone, sem marcação, chutou uma bomba no travessão.  


Insatisfeito, Alemão chegou a sacar Uelber e colocar Luan aos 35 minutos, adiantando Danilo e trazendo Bianchi para a armação. A etapa complementar foi um “déjà vu” dos 45 minutos iniciais, no entanto, com ainda menos oportunidades. Igor Paixão foi quem mais se movimentou e incomodou, mas nada que revertesse a igualdade. O camisa um azul e branco chegou a evitar o gol ao tirar a bola dos pés de Rone. O Londrina saiu de campo vaiado pelo tímido público presente no Café. 


ALERTA LIGADO?

Abaixo da crítica
FOLHA ARTE
 



Apesar do terceiro confronto sem o LEC saber o que é vencer e oscilando, o comandante técnico não acredita que haja motivo para ligar o sinal de alerta neste momento. “Dentro das circunstâncias de pontuação, nos organizando como equipe individualmente e coletivamente para fortalecer e chegar mais longe na competição, não é para sinal de alerta nenhum”, garantiu. 


Alemão ainda ressaltou a fase de recuperação do Londrina, após rebaixamento para a terceira divisão nacional, e a eliminação na primeira fase da Copa do Brasil. “Do ano que nós terminamos, arrebentados, destruídos moralmente e psicologicamente, está bom demais. Acha que ninguém sentiu a derrota e desclassificação para o XV de Piracicaba?”, questionou. “Quando tem um empate com um Cascavel que está lá embaixo na tabela e nós vindos de uma sequência dessa não pode colocar como desastre.” 


O próximo desafio do LEC será no domingo (16), quando enfrenta o União de Francisco Beltrão, às 16h, no estádio Anilado. O elenco deverá se reapresentar na terça-feira (11). 


LONDRINA 0 
Matheus Albino; Raí Ramos, Augusto, William Correia e Julio Rusch; Anderson Carvalho, Matheus Bianqui (Lincon) e Danilo (Juan); Igor Paixão, Júnior Pirambu e Uelber (Luan). Técnico: Alemão 


CASCAVEL CR 0
Fernando Nunes; Lapa (Valber), Cristian, Fernando e Marcão (Ramon); Diego Lopes, Lorran, Renê (Wilian Souto) e Lucy; Rone e Louback. Técnico: Ageu Gonçalves 


Árbitro: André Ricardo Martins  


Público pagante: 772 (Público total: 926) 


Renda: R$ 10.962,00

 

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Continue lendo


Últimas notícias