Hoje, às 20 horas, no Ginásio Moringão, o técnico Ênio Vecchi terá de conviver com a sensação de impotência. Suspenso pela CBB depois de criticar o comportamento da arbitragem na derrota em Casa Branca, o treinador vai acompanhar da arquibancada sua equipe enfrentar o Franca Basquete, equipe mais tradicional do basquete brasileiro. A partida é válida pela 11 rodada do Campeonato Nacional de Basquete Masculino.
Londrina ocupa atualmente a 14 posição na tabela de classificação com 14 pontos (cinco vitórias e quatro derrotas), mas cumpriu dois jogos a menos em relação a seus adversários mais diretos. Por aproveitamento, aparece no sexto lugar, dentro do G-8, grupo do oito melhores da competição. Franca tem aproveitamento de 50%, cinco vitórias e cinco derrotas, 11 lugar.
Vecchi fala abertamente dos dissabores de acompanhar o jogo longe do banco de reservas. ''É uma situação que te dá mais impotência ainda. Eu vou sentir muito em ver o time de longe, mas tenho certeza que os jogadores não. Conversamos muito sobre o que fazer no jogo e garanto que eles vão se comportar bem.'' O auxiliar Mazinho será o substituto.
Vecchi já reivindicou punição a arbitragens duvidosas, mas com seu comportamento fleumático, preferiu abandonar o discurso ofensivo e pensar exclusivamente no rendimento dentro de quadra.
O jogo promete ser muito complicado. Franca tradicionalmente apresenta um jogo de muita defesa e velocidade. Traz também um trio ofensivo capaz de anotar quase 60 pontos por jogo. Matheus, Helinho e Wanderson têm média de quase 20 pontos a cada partida. ''O jogo deles tem-se baseado no trabalho desses três jogadores. Mas, hoje, Franca ainda é uma equipe em formação. Acredito que o desafio deles será muito maior do que o nosso'', analisou.
Londrina deve repetir a mesma formação titular que derrotou a equipe de Limeira há quase dez dias. Por enquanto, João Guilherme arrancou a vaga do ala/armador Duda, titular nos primeiros jogos. O time deve ter Hélio, João, Fernando Mineiro, Ricardo e Coloneze. Robson substitui o armador Thiaguinho do banco de reservas. ''A oportunidade deve ser dada para todos'', justificou o treinador.