Paulo Briguet
ÁGUA. Essa água de Londrina, não sei não. Está muito insípida. Não tem cheiro, não tem cor. Dá pra desconfiar.
CALOR. Tudo bem que moramos num país tropical, abençoado por Deus e etc., mas precisava exagerar? Que cidade mais quente a CBF arrumou. Muito suor atrapalha a visão de jogo, sabe?
ESTÁDIO DO CAFÉ. A comissão técnica desconfia seriamente que um sapo está enterrado debaixo de uma das traves. E esse negócio de gritar ‘‘Tubarão, Tubarão’’ é estranho. Com tanta gente vestida de azul e branco, os jogadores acharam que era torcida da Argentina. Sem falar no bode do Jair e na coruja que habita o local. Tudo isso afeta, afeta.
IMPRENSA. Ah, esses jornalistas. Sempre com seus bloquinhos, seus microfoninhos e suas camerazinhas. Só querem saber de perguntar, anotar, levar informação, escrever, dar manchete, fotografar, gravar, ficar atrás do time. Agora deram até de fazer crônica. Assim não tem quem consiga trabalhar direito, pô. Aí, o repórter diz que o Brasil está jogando mal, e o que acontece? Vai lá e joga mal mesmo.
OS OUTROS TIMES. Não deu pra perceber que Chile, Venezuela e Equador logo se tornarão potências do futebol mundial?
FALTA DE RITMO. Olha, o jogo contra Trinidad e Tobago foi um preparativo para o jogo contra a Costa Rica, que foi um preparativo para o jogo contra o Chile, que foi um preparativo para o jogo contra o Equador, que foi um preparativo para o jogo contra a Venezuela. Fui claro? Aliás, o Pré-Olímpico é apenas um preparativo para a Olimpíada. É tudo uma só preparação, manja?
VAIAS. A partir de agora, fica proibido o uso da vogal ‘‘u’’ nas dependências do Estádio do Café.
LERNER E BELINATI. As vaias ao governador foram tão fortes que causaram problemas auditivos em alguns jogadores. E o prefeito Belinati vem insistindo em transferir a concentração para a chácara dele.
PALAVRÕES. Se você, torcedor, possuísse um terno invocado como o do Luxa, tudo bem, poderia soltar o verbo. Mas dizer palavrão assim, de camiseta e bermuda, é muito deselegante, caramba. Nome feio só é permitido para quem estiver de gravata.
IDADE. Os jogadores são todos meninos, pô. Para se ter uma idéia, nenhum deles passou dos 23 anos.
NOITE LONDRINENSE. É barzinho, é boate, é moça em trajes de verão. Assim não tem concentração que aguente!
FAIXAS. Há um temor generalizado (sobretudo entre os dirigentes e políticos) de que apareçam faixas com dizeres polêmicos, do tipo ‘‘Cadê meus 15 milhões?’’, ‘‘Eu não aguento mais ouvir pagodeiro’’ ou ‘‘Pafúncio, você ainda me deve vintão’’.
ARBITRAGENS. Sabe aqueles adjetivos que pessoal da arquibancada vem usando? Pois é. Pelo menos o Luxa e a torcida concordam nesse ponto.
CACHORRO. Todo mundo viu o cachorro entrando em campo naquele jogo. Pensam o quê? Tem jogador da Seleção Brasileira com um baita medo de cachorro, e isso acaba prejudicando o rendimento do time. Imagine: o cara entra na área, bola dominada, e lembra que o vira-lata pode aparecer para mordê-lo. Afeta, afeta.
HINO NACIONAL. Decorar a letra toma um tempão da equipe.
VOLANTES. Eles já apareceram – mas cadê os motoristas?
PÚBLICO. Contra o Chile, havia 40 mil no estádio (quantos ‘‘convidados’’, ninguém sabe). Contra a Venezuela, eram só 13 mil. Assim não dá: ou vem gente demais ou vem gente de menos. Afeta, afeta.
QUEBRANTO. Esses olheiros de clubes europeus estão sob suspeita de gorar a Seleção.
PÉ-FRIO. Até agora estava sendo guardado em sigilo, mas tudo indica que Tião Cruz Credo Meu Rei, um dos maiores pés-frios do País, está em Londrina. A ciência já provou: onde ele pisa, ninguém joga bem. Tião está sendo procurado por toda a cidade. Assim que o acharem, ele será convidado a se retirar. Esperamos que isso aconteça antes do jogo contra a Colômbia. Cartas e telefonemas para a redação!
NUMEROLOGIA. Ninguém havia notado que as letras influenciam na atuação do time? A partir de agora, a escalação da Seleciom Bhrazyleira será a seguinte: Fhabiio Costa, Mankhini, Alwaruu, Phabyo Belisca e Fábio de Aurélio; M.P., Bach, Faberiano e Alexei; Ron-Ron e F. Filho (ou Lookax). Uniforme grená e turquesa. O técnico continuará sendo Luxa, porque com esse ninguém mexe.
E-mail:[email protected]

CONFORMADOS
Os jogadores chilenos já estão mais conformados com a goleada de 5 a 1 que sofreram da Colômbia, na quarta-feira. Pelo menos é o que informou ontem à tarde o técnico Hector Pinto, durante compras que fez pelo centro de Londrina. ‘‘Agora eles têm de pensar em se reintegrar aos seus clubes’’, observou. Segundo ele, três ou quatro jogadores podem ser incorporados à seleção principal que treina para as Elimininatórias da Copa do Mundo de 2002. Pela manhã, os jogadores fizeram um treino leve no campo do PSTC, em Cambé, e tiveram a tarde livre. Muitos aproveitaram para passear e fazer compras pelo centro.

DEBANDADA
A desclassificação do Chile no Pré-Olímpico fez com que os jornalistas daquele país debandassem de Londrina. Dos jornalistas de 10 rádios, emissoras de TV e jornais que estavam acompanhando a seleção, apenas uma equipe (a do Canal 13) ainda continua na cidade. A equipe volta para Santiago na segunda-feira.

FAIR PLAY
O Brasil lidera a disputa pelo Troféu Fair Play – um prêmio ao jogo limpo e à disciplina dentro e fora dos gramados. A equipe está empatada com a já eliminada Bolívia com 13 pontos. Colômbia, com 5 pontos, e Peru, com 4, são as seleções mais indisciplinadas.