Levir critica França e Carlos Miguel12/Mar, 19:36 Por Eduardo Maluf São Paulo, 12 (AE) - Mesmo satisfeito com a vitória sobre o rival Palmeiras, o técnico do São Paulo, Levir Culpi, criticou bastante a atuação do atacante França e do volante Carlos Miguel, que entraram no segundo tempo. "Eles entraram muito mal", resume o treinador. Levir ficou irritado com a acomodação da equipe no segundo tempo, fato que quase custou a vitória. Segundo ele, o São Paulo estava dominando a partida e, mesmo assim, conseguiu complicar a situação. "Poderíamos ter saído com uma goleada histórica, mas perdemos muitos gols", diz. "No fim, o jogo acabou ficando dramático." O treinador optou por escalar Edu, porque acreditava que França não iria aguentar jogar os 90 minutos. "Ele atuou em apenas 20 e mesmo assim foi mal." Edu ficou sabendo que jogaria apenas na manhã de hoje. Agora, Levir terá a semana toda para definir no lugar de quem colocará o atacante. O certo é que um jogador do meio-de-campo vai perder a posição. O atacante Evair não conseguiu esconder a alegria após a partida por ter vencido, com tranquilidade, o duelo com o amigo César Sampaio. "É preciso dar mérito para o time todo, porque os companheiros possibilitaram que eu fizesse boas jogadas." O atleta garante que a vitória sobre seu ex-clube não teve sabor especial. "O que interessa é que vencemos uma grande equipe", diz ele, que não teve oportunidade de cumprimentar o técnico Luiz Felipe Scolari. "Se ele chegasse perto de mim, eu o cumprimentaria sem problemas." Como Levir, Evair acredita que faltou tranquilidade para a equipe no final e, por isso, quase deixou a vitória escapar. "O time teria de tocar a bola no meio e no ataque, para não permitir que o Palmeiras pressionasse." Na saída do vestiário, o atacante distribuiu autógrafos não só para são-paulinos mas também para palmeirenses. Humilhação - O volante Vágner garante que não quis humilhar os adversários no momento em que tentou os dribles. "Queria apenas fazer jogadas de ataque em busca do gol", comenta. Embora garanta estar satisfeito no São Paulo, o jogador acredita ser difícil a permanência no Morumbi. Seu contrato termina em junho e o passe pertence à Roma, da Itália. "Haverá eleições no clube e é difícil saber o que vai ocorrer nos próximos meses."