O técnico do Londrina, Roberto Fernandes, afirmou ontem que não irá repetir, na 'decisão' contra o Atlético, amanhã, às 20h30,a formação titular que garantiu a classificação entre os quatro melhores do Campeonato Paranaense. ''Ainda não posso dizer qual, mas que haverá mudança, haverá'', garantiu.
Apesar dos elogios frequentes a Marcão e Dé, a dupla de zaga, a maior possibilidade é que o Londrina jogue com três zagueiros (Márcio Santos ou Luís Henrique são as opções) e que um dos meias, possivelmente Márcio Alan, seja sacado do time. Outra variante que deve ser testada no treino tático de hoje é a colocação de um terceiro meia-defensivo, Júnior Gaúcho.
As dúvidas voltaram a mexer com a estabilidade do Londrina, porque o jogo contra o Furacão não é encarado como os outros pela comissão técnica. ''É um jogo diferente, especial'', admitiu Fernandes.
As justificativas para tanta cautela são duas. A primeira é o regulamento, que dá a vantagem do empate ao Londrina para passar à semifinal. A segunda, de acordo com Fernandes, é a qualidade de cinco jogadores do Atlético. ''Não podemos dar espaço para Alessandro, Kléberson, um dos melhores do mundo na sua posição, Adriano, Ilan e Dagoberto'', enumerou.
Sobre o bom momento do Tubarão, o treinador disse já ter um antídoto para evitar o excesso de confiança. ''Não podemos confundir tranquilidade com acomodação''. Fernandes também conta com o ''clima do jogo'' para superar o tradicional adversário. ''A torcida tem que fazer sua parte e transformar o VGD na Bombonera do Paraná'', comparou, citando o legendário estádio do Boca Juniors, considerado um exemplo de pressão extra-campo.
Copa Tribuna Os caminhos de Londrina e Atlético estão mesmo se cruzando esta semana. Hoje, às 15h30, no campo principal do Centro de Treinamento do Caju, em Curitiba, os dois clubes irão decidir a edição 2002 da Copa Tribuna de Juniores.
A disputa será em jogo único. Se houver empate, está previsto tempo-extra com a possibilidade de 'gol de ouro'. Se a igualdade persistir, o título será decidido nas cobranças de pênalti. O Tribunal de Justiça Desportiva da Federação Paranaense de Futebol anulou os jogos finais (Atlético x Iraty) porque um jogador do Iraty foi denunciado pelo Londrina por atuar irregularmante.