|
  • Bitcoin 104.545
  • Dólar 5,1827
  • Euro 5,4159
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 05/06/2022, 13:28

Juventude supera campo encharcado e bate o Fluminense

PUBLICAÇÃO
domingo, 05 de junho de 2022


AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Muita chuva e pouco futebol. Assim foi a vitória do Juventude por 1 a 0 sobre o Fluminense, na manhã deste domingo (5), pela nona rodada do Campeonato Brasileiro. O time da casa driblou melhor as poças de água no gramado do Alfredo Jaconi, que estava castigado pela chuva forte, e venceu com gol contra de Luccas Claro.

Com a dificuldade de trocar passes, o Tricolor pouco conseguiu criar. Já o Alviverde se saiu melhor nas ligações diretas e bolas pelo alto, marcando seu gol aos 31 minutos do primeiro tempo. Pitta chutou a bola, mas o tento foi dado para Luccas Claro, contra. Na etapa final, os mandantes se fecharam e seguraram o placar.

Com o triunfo, o Juventude deixa a zona de rebaixamento e salta para o 16º lugar, com 10 pontos. O time ainda pode terminar a rodada no Z-4, caso o Goiás empate ou vença o Botafogo. Já o Fluminense, com 11 pontos, é o 11º colocado.

GRAMADO IMPEDE O FUTEBOL

As condições no Alfredo Jaconi não permitiam que o futebol fosse praticado. O excesso de chuvas e a drenagem ruim do local formaram imensas poças de água. Apesar disso, o árbitro Jefferson Ferreira de Moraes autorizou o início do jogo às 11h, mas ficou parando o jogo, marcando muitas faltas. Com isso, a bola rolou em menos de 20 minutos durante toda a primeira etapa.

Os mandantes conseguiram ler melhor o que o campo pedia e apostaram demais em bolas longas e pelo alto, marcando o gol na etapa inicial. Ainda houve um atraso de seis minutos para iniciar o segundo tempo, que aconteceu mesmo sem a drenagem ajudar.

FOI BEM: ISIDRO PITTA

O centroavante da equipe da casa se tornou peça essencial para que o Juventude conseguisse criar as jogadas. Bem posicionado e valente dentro da área, foi o que melhor se encaixou com as adversidades do campo. Ainda chutou a bola que resultou no gol contra de Luccas Claro.

FOI MAL: GANSO

O meia do Fluminense não conseguiu produzir nada. Jogador de muita técnica e bola no pé, ficou sem função por causa das poças de água que tomaram conta do gramado. Saiu aos 12 minutos do segundo tempo.

ATUAÇÃO DO FLUMINENSE

A equipe tricolor gosta de jogar com toques curtos e rápidos, algo que era completamente inviável com a situação do gramado. Sem se adaptar rapidamente as condições, o time não conseguiu sequer chutar ao gol nos primeiros 45 minutos.

Diniz voltou com três mudanças para a segunda etapa. Cris Silva, Felipe Melo e Matheus Martins entraram na equipe para tentar mudar o cenário. Pouco depois, aos 12 minutos, John Kennedy veio na vaga de Ganso. As trocas permitiram que o Tricolor chegasse mais ao gol adversário, porém sem conseguir a igualdade.

CRONOLOGIA DO JOGO

Como a bola pouco rolou, pouca coisa aconteceu. O lance do gol começou com Vitor Gabriel, que arriscou um chute do meio da rua. A bola bateu na zaga do Tricolor e sobrou para Pitta, que ficou cara a cara com Fábio. O goleiro conseguiu tocar na bola, contudo ela foi avançando devagar em direção ao gol. Luccas Claro se atrapalhou na hora de tentar tirar e ela acabou entrando.

Pitta ainda puxou um ataque e rolou para Paulo Henrique mandar para a rede aos 38', mas estava completamente impedido e o lance foi invalidado.

No segundo tempo, o clima esquentou e o Juventude se fechou. O time das Laranjeiras partiu para o ataque, entretanto não foi capaz de furar o bloqueio adotado pela equipe da casa.

ÁRBITRO SE ATRAPALHA

Jefferson Ferreira de Moraes marcou muitas faltas, parando demais a partida e prejudicando ainda mais o duelo, que já era prejudicado pela situação do gramado. No segundo tempo, com a entrada de Felipe Melo, o clima da partida esquentou e ele se confundiu ainda mais.

Por reclamação, expulsou o Ricardo Oliveira, médico do Fluminense, aos 20', e Nonato, aos 48', ambos da segunda etapa. Antes disso, aos 16', não conseguiu controlar uma confusão que teve Vitor Gabriel sangrando e partindo para cima de Felipe Melo.

O maior reflexo da dificuldade encontrada pelo juiz foi aos 35'. Manoel fez falta, mas ele advertiu Luccas Claro com o amarelo. O erro foi corrigido pelo VAR rapidamente.

PRÓXIMOS JOGOS

As duas equipes jogarão em casa na quarta (8), pela 10ª rodada da Série A. Às 19h, o Juventude encara o Athletico-PR. Mais tarde, às 21h30, o Flu recebe o Atlético-MG no Maracanã.

JUVENTUDE

César; Rodrigo Soares, Vitor Mendes, Rafael Forster e William Matheus; Jean, Jadson e Chico; Vitor Gabriel, Paulo Henrique (Thalisson Kelven) e Isidro Pitta. Técnico: Eduardo Baptista

FLUMINENSE

Fábio, Samuel Xavier, Manoel, Luccas Claro e Caio Paulista (Cris Silva); Wellington (Felipe Melo), André e Ganso (John Kennedy); Willian Bigode (Matheus Martins), Luiz Henrique e Cano. Técnico: Fernando Diniz

Estádio: Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul (RS)

Árbitro: Jefferson Ferreira de Moraes (GO)

Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva (GO) e Luanderson Lima dos Santos (BA)

VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)

Gols: Luccas Claro, contra, aos 31min do 1º tempo (JUV)

Cartões amarelos: William Matheus, Rodrigo Soares (JUV); Ganso, Manoel, Felipe Melo, John Kennedy (FLU)

Cartão vermelho: Nonato (FLU)