Justiça determina penhora de taça da Libertadores do Vasco em ação trabalhista


ALEXANDRE ARAÚJO E THIAGO BRAGA
ALEXANDRE ARAÚJO E THIAGO BRAGA

RIO DE JANEIRO, RJ, E SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - A Justiça determinou a penhora do troféu da Copa Libertadores de 1998, sob posse do Vasco, devido a uma dívida do clube com o jogador norte-americano de basquete Nicholas Okorie.

A decisão foi do juiz Ronaldo Santos Resende, da 78ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro do TRT-1 (Tribunal Regional do Trabalho da Primeira Região), na quinta-feira (10). Confirmada pela reportagem, a informação foi publicada pelo site Esporte News Mundo inicialmente.

Procurado, o clube de São Januário informou que não comenta ações judiciais em andamento.

O pedido por parte da defesa do jogador veio a público no final de abril. À época, Luiz Paulo "Lupa" Cecilio, também ex-jogador de basquete do Vasco e, segundo ele, com valores a serem recebidos pelo clube, havia entrado com solicitação parecida na Justiça.

Os dois atuaram na equipe entre 2018 e 2019. Eles acionaram o Vasco na Justiça cobrando o pagamento de férias, verbas rescisórias, 13º salário, depósito do FGTS, além de multa. Junto com a penhora da taça, a defesa dos atletas pediu que fosse expedido ofício para bloqueio de crédito em mão de terceiros.

Assim, a Justiça pediu à Globo que bloqueasse valores referentes a direitos de transmissão. Estendeu ainda o pedido à CBF e à Ferj por eventuais repasses por cumprimentos de metas ou premiações aos quais o Vasco pudesse ter direito.

Na ação de Nick Okorie, a Justiça chegou a bloquear as 12 contas do Vasco em 25 de novembro do ano passado para tentar levantar R$ 64.350, mas, na ocasião, todas elas estavam zeradas.

Sob grave crise financeira, o clube cruzmaltino conseguirá ao menos chegar ao confronto com o Brasil de Pelotas às 19h deste sábado (12), pela Série B do Campeonato Brasileiro, com os salários de jogadores e dos demais funcionários em dia, com o vencimentos referentes a maio pagos nesta sexta (11).

Há acordos antigos, no entanto, alguns realizados no início da pandemia, ainda em aberto.

Na metade do mês passado, ao vender o atacante Talles Magno para o New York City (EUA), o Vasco precisou tratar do acerto de maneira sigilosa para evitar penhoras. Na ocasião, o clube recebeu cerca de R$ 43 milhões, que foram utilizados para quitar salários atrasados e exercer a compra do jovem MT.

Estádio: Bento Freitas, em Pelotas (RS)

Horário: 19h (de Brasília) deste sábado (12)

Árbitro: Paulo Henrique Schleich Vollkopf (MS)

Transmissão: Premiere

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo