Das agências
De São Paulo
O piloto finlandês Mika Hakkinen, da McLaren, bicampeão mundial, vai largar na pole position do GP Brasil de Fórmula 1, neste domingo, no circuito de Interlagos, em São Paulo. Ontem, ele marcou o melhor tempo no treino oficial, girando em 1min14s111. Com 17 minutos para o fim do treino e o treino suspenso (uma placa publicitária caiu três vezes durante a sessão), uma chuva forte caiu sobre Interlagos, impossibilitando os pilotos de melhorarem seus tempos.
O seu companheiro de equipe, o escocês David Coulthard, vai largar ao seu lado, com o tempo de 1min14s285. Na segunda fila estão os pilotos da Ferrari. Em terceiro, o alemão Michael Schumacher, que marcou seu melhor tempo (1min14s508) com um carro reserva (o titular, ele avariou em uma volta ao sair da pista), e em quarto o brasileiro Rubens Barrichello, com 1min14s636.
Em quinto largará Giancarlo Fisichella, da Benetton, que marcou 1min15s375. Em sexto, Eddie Irvine, da Jaguar, com 1min15s425. Em sétimo, Heinz-Harald Frentzen, da Jordan, que fez 1min15s455. Ricardo Zonta, da BAR, largará em oitavo lugar. Pedro Paulo Diniz não correrá: a sua equipe, a Sauber, decidir não disputar a prova, pelo fato de ontem não ter conseguido colocar seus carros em condições de fazer bons tempos.
A Ferrari defende, no Brasil, a liderança do campeonato. Na primeira prova, duas semanas atrás, na Austrália, Schumacher venceu e Rubinho foi o segundo. O alemão, portanto, soma 10 pontos e o brasileiro, 6. Também pontuaram em Melbourne o alemão Ralf Schumacher, da Williams (4 pontos), o canadense Jacques Villeneuve, da BAR (3), o italiano Giancarlo Fisichella, da Benetton (2) e o curitibano Ricardo Zonta, também da BAR (1).
Opções diferentes nas escolhas dos pneus devem transformar a corrida em um duelo tático entre Ferrari e McLaren. O time italiano vai disputar a prova com os compostos mais macios, portanto mais velozes. Já os carros de Mika Hakkinen e David Coulthard entrarão para o GP calçados com os pneus médios, de maior durabilidade. Como consequência de sua decisão, tomada ontem, a Ferrari deve fazer pelo menos uma parada nos boxes a mais que a escuderia rival – provavelmente, serão dois pits para o time italiano.
E, como aconteceu com Rubens Barrichello na Austrália, a estratégia ferrarista é arriscada e demonstra que a equipe está confiante no bom desempenho do F1-2000, seu novo carro.Bicampeão põe a McLaren na pole position em Interlagos; brasileiro larga na segunda fila, ao lado do companheiro Schumacher
France PresseNA CONTRA-MÃORubinho cruza com Frentzen após rodar no treino livre da manhã: Interlagos deve ter recorde de público hoje