O tenista número 1 da corrida dos campeões – posição assegurada pela 15ª semana – o brasileiro Gustavo Kuerten tenta quebrar um tabu na sua estréia do Masters Series de Stuttgart, Alemanha: vencer o francês Nicolas Escude, adversário que jamais derrotou nas três vezes em que se encontraram. Este jogo, segundo a programação, não será antes das 14 horas (10 horas de Brasília), na quadra central de carpete, em ginásio, condições nada favoráveis ao estilo de Guga.
Escude, um tenista de golpes poderosos, estreou com boa vitória no Masters Series de Stuttgart. Bateu o alemão Bjorn Phau por 6/3 e 6/4. Diante de Guga ganhou também jogos importantes, um deles em condições semelhantes a da Alemanha. Foi no Paris Bercy também disputado em ginásio e quadra rápida. O francês levou a melhor em um jogo decidido em cinco sets, na segunda rodada do Aberto da Austrália de 1998, e venceu ainda na disputada Copa Davis, em Florianópolis, no ano passado.
A situação de Guga hoje é bem diferente. Já aprendeu muitos dos segredos de uma quadra rápida. Embora ainda não se sinta plenamente confortável neste tipo de piso, tem condições de quebrar este tabu diante do francês. O saque, neste tipo de quadra, é uma das armas mais poderosas. Tanto é que dois dos melhores sacadores do circuito profissional
Greg Rusedski e Richard Krajicek, estrearam com boas vitórias em Stuttgart. O inglês derrotou Jerome Golmard (França) por 6/1 e 6/2, enquanto o holandês superou o espanhol Alberto Martin por 6/2 e 6/4. Em outros jogos, Fabrice Santoro eliminou Goran Ivanisevic por 6/3 e 7/6 (7x4), mostrando que o tenista croata não tem jogado bem ultimamente nem mesmo na sua superfície predileta, enquanto num clássico do Marrocos, Younnes El Aynaoui superou o compatriota Karim Alami por 7/6 (9x7), 3/6 e 6/3.
Ranking – Guga vai precisar de uma boa campanha em Stuttgart para manter a liderança na corrida dos campeões. Sua diferença para o segundo colocado, o russo Marat Safin, caiu para apenas três pontos (649 contra 646). O terceiro colocado, Pete Sampras, com 637 pontos, está fora da disputa do torneio alemão e promete só voltar às quadras para o Masters de Lisboa. Fernando Meligeni manteve-se como o segundo melhor brasileiro, com a 90ª posição na corrida dos campeões e a colocação de número 101 no ranking mundial.