TERESÓPOLIS, RIO DE JANEIRO (UOL/FOLHAPRESS) - Companheiro de Gabriel Jesus no Arsenal e na seleção brasileira, Gabriel Martinelli considera o xará um dos melhores do mundo na posição. Foi o que ele disse na coletiva deste domingo (19), na Granja Comary, em Teresópolis, após o treino que confirmou os titulares do Brasil para enfrentar a Argentina, na terça (21), no Maracanã.

"Um cara que considero bastante, um irmão agora, estamos todos os dias juntos no Arsenal. É um dos melhores centroavantes do mundo, uma grande pessoa também. Está dando certo no Arsenal e espero que aqui na seleção também dê certo e consigamos trazer muita alegria ao torcedor brasileiro", disse Martinelli.

A formação ofensiva do Brasil terá Jesus, Martinelli, Rodrygo e Raphinha. A responsabilidade é ajustar o comportamento do time para melhorar na criação.

"É um processo, um time novo, mas de muita qualidade. Nesse processo, a gente tem que ter calma, a gente em campo tentar nos conectar da melhor maneira possível que acho que as coisas vão fluir. Tem muitos jogadores de qualidade e acho que as coisas vão fluir", completou.

O que muda com Jesus. "O professor Diniz deixa a gente muito tranquilo em relação ao posicionamento, só pede para flutuarmos bastante e estarmos sempre um próximo ao outro para tentar fazer triangulações. Acho que com Jesus vai sair muito bem, como com Vini deu muito certo. Estamos acostumados a treinar e jogar juntos no Arsenal".

*

OUTRAS RESPOSTAS DE GABRIEL MARTINELLI

Posicionamento

"Tento dar o meu melhor. Fazer o que o professor pede. Tentar ajudar o máximo que eu puder. Vou continuar me doando, fazendo o que posso para ajudar. Espero que possamos ter um resultado melhor".

Evolução

"Estádio que eu estreei contra a Bolívia (Maracanã). Sou bem parecido nos dois (jogador e pessoa), tento ser o mais honesto possível, me doar ao máximo, ser verdadeiro com todo mundo. Sou bem parecido dentro e fora de campo".

Tamanho do jogo

"Claro que a gente sabe que é um time em evolução, mas se você pegar todos os jogadores jogam com grandes clubes com grandes responsabilidades e pressão. Se a gente joga na seleção, sabemos o peso que carregamos. Cada um sabe disso. Temos que tentar dar nosso melhor em campo, com alegria. É um processo, um time novo, jovem. Todos sabem da pressão e do orgulho. Temos que continuar se doando".

O que significou o gol contra a Colômbia

"Um sonho realizado. Venho sonhando com esse gol desde pequenininho. Foi muito importante pra mim e para minha família. Muitos amigos falaram para explicar como me senti depois do gol, mas a ficha nem tinha caído ainda. Depois, quando você sai do jogo, você cai na real. É um sonho realizado. Muito feliz".

Aspecto defensivo

"Disse que a defesa começa com a gente ali na frente. Temos que ajudar ao máximo nossa linha de trás. Temos que tornar a vida deles mais fácil e prevenir que essas bolas cheguem perto do nosso gol".

Confusão de lesões

"É um pouco dos dois lados. Tanto eu quanto o Gabi sempre queremos estar na seleção. No meu caso, eu não estava apto a jogar, mas era um jogo importante contra o City. Treinei um dia com o grupo na sexta e fui para o jogo no sábado. Por isso que a gente não quis forçar e correr risco porque a temporada é longa. Mas no que depender de mim, do Gabi ou de qualquer outro jogador vamos querer sempre estar na seleção".

Messi

"Realização de um sonho jogar contra um dos maiores da história. Muito feliz por estar compartilhando campo com ele e com tantos outros jogadores, mas na minha equipe também tem diversos jogadores de qualidade. Temos que focar no nosso time e tentar sair com a vitória".