A Fundação Municipal de Esporte de Londrina deve iniciar amanhã os trabalhos de recuperação do gramado do Estádio do Café, que encontra-se infestado de pragas e outras gramíneas. Os detalhes sobre a maneira adequada para controlar a infestação das pragas e variedades estranhas à grama esmeralda, plantada no ano passado, serão discutidos hoje durante reunião entre o presidente da Fundação, Pedro Sperandio Lopes, o Secretário Municipal da Agricultura, Samir Cury, e o engenheiro agrônomo da AMA (Autarquia do Meio Ambiente), Marcelo Pinto de Arruda.
Pedro Lopes teve rápida conversa ontem com Antônio Schiavo, que estava fora da cidade. ‘‘O seo Antônio alega que foi contratado apenas para plantar a grama e não tem nada a ver com a tiririca’’, explicou Lopes. ‘‘A Fundação não contratou o seo Antônio e não pretendo entrar em polêmica com ele. A partir de agora falo só sobre a reforma do gramado’’, completou ele.
Lopes destacou ainda que as medidas jurídicas – ressarcimento do dinheiro ou nova troca da grama pela empresa executora do serviço em 1999 – serão tomadas pela Procuradoria Geral do Município. A troca do gramado feita pela empresa de Schiavo ano passado custou R$ 49 mil aos cofres da Prefeitura.
A Folha tentou falar ontem com Antônio Schiavo mas não o localizou.