|
  • Bitcoin 151.915
  • Dólar 5,0617
  • Euro 5,2708
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 26/04/2022, 23:51

Fred perde pênalti, Fluminense empata com Santa Fe e se complica na Sul-Americana

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 26 de abril de 2022

ALEXANDRE ARAÚJO
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) - O Fluminense ficou apenas no empate sem gols com o Unión Santa Fe pela terceira rodada do Grupo H da Copa Sul-Americana. O placar de 0 a 0 no Maracanã, que ainda teve Fred perdendo um pênalti nos acréscimos na noite desta terça-feira (26), complica a situação do time no torneio.

O resultado mantém o Fluminense na terceira colocação, com quatro pontos ganhos. Já o clube argentino chega aos cinco e assume a liderança provisória da chave. Apenas o melhor de cada grupo avança às oitavas.

Na quarta rodada, os dois clubes jogam em casa. O Unión enfrenta o Oriente Petrolero na quinta (5), às 19h15. Já o Fluminense recebe o Junior Barranquilla na quarta (4), às 21h30. No entanto, antes disso, o time carioca volta suas atenções para o Campeonato Brasileiro. No domingo (1º), às 16h, visita o Coritiba no Couto Pereira.

A equipe argentina entrou bem recuada e conseguiu dificultar a vida do clube tricolor. Mesmo com a bola, o clube carioca pouco fez no campo ofensivo.

Abel manteve o esquema com três zagueiros, mas com novidades. Com Luccas Claro titular, David Braz fez a função mais central dos três zagueiros. No ataque, havia um desacerto. Caio Paulista foi escalado como ponta, mas em mais de uma oportunidade quem apareceu na função foi Cano.

No primeiro tempo, a equipe conseguiu ter mais a bola e rondar a área adversária, mas esbarrou em erros de passes para criar chances melhores. A defesa, por outro lado, cometeu alguns cochilos e levou sustos.

Na volta do intervalo, Fred entrou na vaga de Caio Paulista e o time tricolor mudou um pouco o desenho do time, mas viu o Santa Fe ter mais espaço e chegar com mais facilidade. Com novas trocas, apresentou uma melhora.

Os visitantes foram ao Maracanã com uma proposta inicial de esperar o Fluminense e sair em velocidade. Em algumas investidas, mexeu no setor defensivo da equipe brasileira, mas, no geral, não assustou tanto. Esteve perto de abrir o placar em uma bobeada tricolor que fez Álvez sair na cara do gol, mas mandar para fora.

No segundo tempo, porém, passou a ter uma presença um pouco maior no campo de ataque e fez Fábio fazer boas defesas. Posteriormente, com as alterações do Fluminense no decorrer da etapa final, voltou a usar uma proposta parecida com a inicial.

O Fluminense começou o jogo tentando empurrar o adversário e ocupar o campo ofensivo. O time tinha mais a bola, mas esbarrou em alguns erros de passe no momento de finalizar as jogadas. O Unión Santa Fe, por sua vez, buscava saídas em velocidade para explorar os espaços nas costas da defesa, mas também sem muito sucesso.

Com a persistência do empate sem gols no primeiro tempo, o Fluminense foi para o vestiário sob vaias dos torcedores.

Logo no início do segundo tempo, após cobrança de escanteio, Calderón cabeceou forte e Fábio fez boa defesa. Depois de novo escanteio, Polenta finalizou e Fábio fez boa defesa novamente. No rebote, Álvez balançou a rede, mas o impedimento foi marcado.

Nos minutos finais, a torcida do Fluminense se dividiu entre protestos ao time pelo empate e gritos de incentivo para empurrar para a vitória.

Nos acréscimos, após cruzamento, a bola pegou na mão de Juárez, defensor do Unión Santa Fe e a arbitragem marcou pênalti. O lance gerou muita reclamação dos visitantes, enquanto a torcida cantava "a benção João de Deus". Na cobrança, Fred bateu e o goleiro Mele foi no canto para espalmar e segurar a igualdade.

FLUMINENSE

Fábio; Nino, Luccas Claro e David Braz (Calegari); Caio Paulista (Fred), Wellington (Yago Felipe), Nonato, Ganso (Nathan) e Marlon; Jhon Arias (Luiz Henrique) e Germán Cano. T.: Abel Braga.

UNIÓN SANTA FE

Mele; Brítez, Calderón, Polenta e Corvalán; Portillo, Machuca (Juaréz) e Nardoni (Roldán); Zenón, Luna Diale (Blase) e Jonatan Álvez. T.: Gustavo Munúa.

Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)

Árbitro: Esteban Ostojich (Uuguai)

Assistentes: Nicolas Taran e Carlos Barreiro (ambos do Uruguai)

Cartões amarelos: Luccas Claro, Marlon (FLU); Diego Polenta, Luna Diale, Nathan (USF)