Fluminense mantém competitividade com titulares em meio a trocas de comando


CAIO BLOIS
CAIO BLOIS

RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) - O Fluminense faz bom início de temporada em 2021, em que é finalista do Campeonato Carioca e lidera o Grupo D da Copa Libertadores, pela qual enfrenta o Santa Fe (COL) às 21h desta quarta-feira (12), pela quarta rodada da fase inicial.

A equipe tricolor, que tem revezado escalações de titulares e reservas, perdeu apenas 2 de seus últimos 20 jogos com força máxima, mantendo a alta competitividade, ainda dos tempos de Odair Hellamann, na transição de comando de Marcão para Roger Machado, com 14 jogos à frente do clube.

Foram 11 vitórias e 7 empates no período, com um aproveitamento de 66,7%, além dos dois revezes, o último deles pelo Estadual, contra o Volta Redonda, por 3 a 2 —naquela tarde em Bacaxá, o time saiu atrás no placar, empatou e quase virou, mas sofreu um gol de contra-ataque nos acréscimos.

Antes, sofreu dura goleada para o Corinthians, no Campeonato Brasileiro, em um momento considerado por todos no clube como uma virada de chave. Naquela noite em Itaquera, o clube tricolor ainda tinha outra estrutura tática. De lá para cá, muita coisa mudou.

Uma alteração significativo foi a entrada do jovem Martinelli, 19, hoje o dono do meio de campo da equipe. Com o volante como titular, o Fluminense tem números ainda melhores: venceu 12 jogos, empatou 7 e perdeu apenas 1 —equivalente 71,7% de aproveitamento.

"São números muito bons, e tudo isso é fruto de um trabalho que começou lá atrás. Mas tenho que dar os parabéns também a todos os meus companheiros de equipe. É um trabalho coletivo. Agora espero manter bons números e ajudar o Fluminense", disse Martinelli ao site oficial do clube.

Outro fator que se mantém dentro da boa fase do Fluminense é a bola parada. Ponto forte da equipes desde os tempos de Odair, as jogadas vindas de faltas, escanteios e laterais somam 15 dos 36 gols tricolores nos últimos 20 jogos com titulares, ou 41,7% deles.

O gol de Kayky sobre o Junior (COL), na rodada anterior da Libertadores, foi o oitavo da temporada que saiu da bola parada. Na reta final do Brasileiro, foram 7 dos 16 desde a citada derrota para o Corinthians, em média bem parecida (41,9%).

Responsáveis pelas cobranças do time, Nenê e Egídio são os grandes assistentes do período, com nove e sete passes para gol, respectivamente. O meia ainda marcou um golaço de falta pelo Carioca.

Pelo Estadual, a equipe tricolor poupou parte de seus atletas no domingo (9), ao vencer a Portuguesa-RJ. Agora, voltará a ter força máxima, pela Libertadores —o Fluminense soma cinco pontos na competição, empatado neste quesito com o River Plate (ARG), vice-líder da chave; Junior e Santa têm dois pontos cada.

Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)

Horário: 21h (de Brasília) desta quarta-feira (12)

Árbitro: Eber Aquino (PAR)

Transmissão: Conmebol TV

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo