E Fred renasceu. E com ele, e os gols dele, a paz. Pois é. O Sport, pelo que se viu, acreditou que a fase do Fluminense não seria passageira e entrou disposto a explorá-la, descartando a postura defensiva, tanto que quase abriu o placar no começo, com duas oportunidades em sequência, desperdiçadas por Felipe Azevedo e Patric. Mas foi pura ilusão. Em duas trocas de figurinhas entre Fred e Cícero, depois de meia hora, o Tricolor fez 2 a 0 e praticamente liquidou o jogo ainda no primeiro tempo. Depois disso, o Sport perdeu o fio da meada, e bastou ao time carioca manter a regularidade para marcar outras duas vezes, para golear por 4 a 0.
Foi assim: aos 34 de bola rolando, Fred pôs Cícero livre para tocar na saída de Magrão, e aos 42, retribuindo a gentileza, Cícero cruzou para Fred desviar de cabeça, sem chance para o goleiro. Vale lembrar que Valencia sofreu contusão aos 17, sendo substituído por Édson, o que não modificou o padrão. No intervalo, o Leão trocou Zé Mário por Diego Souza, mas o Flu continuou absoluto.
Aos quatro, Conca fez 3 a 0, cobrando falta. Eduardo Baptista lançou Ibson e Augusto, sem qualquer utilidade, pois seu time já estava entregue às traças. Na prática, bastava ao Tricolor forçar a barra para ampliar o placar. Aos 34, Bruno levantou na medida para Fred cabecear à direita de Magrão: 4 a 0. O artilheiro, massacrado nos últimos dez dias, saiu ovacionado.


Imagem ilustrativa da imagem FLUMINENSE 4 X 0 SPORT<br>Para fazer as pazes

Imagem ilustrativa da imagem FLUMINENSE 4 X 0 SPORT<br>Para fazer as pazes