RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) - O Flamengo instável de 2023 passou também pelo gol. Santos começou a temporada como titular, Matheus Cunha assumiu a titularidade na maior parte do ano, mas viu Rossi ser o escolhido para a reta final. Na próxima temporada, o clube espera o argentino "voando" para dar segurança ao setor.

O QUE ACONTECEU

Rossi só foi estrear pelo Flamengo no final de setembro. Ele ficou 16 jogos no banco de reservas antes de ter a oportunidade no penúltimo jogo de Jorge Sampaoli no comando.

O Flamengo espera o goleiro mais adaptado e em alto nível na próxima temporada. A previsão nos bastidores é que ele esteja mais acostumado ao jogo brasileiro e também em um momento melhor com o time, já que acabou sendo acionado no meio do furacão da final da Copa do Brasil.

O clube tentou evitar esse período de adaptação quando contratou o arqueiro. O Fla negociou com o Boca Juniors a liberação seis meses antes do fim do contrato, mas os argentinos não quiseram.

Rossi ainda ficou até maio na Arábia Saudita, onde fez só oito jogos. Na chegada ao Flamengo, intensificou trabalhos físicos até estar onde o clube considerava ideal para jogar. Com saída de bola "acima da média", como é definido internamente, pode ser importante.

OS RESERVAS

Matheus Cunha teve bom rendimento em uma parte do ano. Até por isso foi o primeiro com contrato até dezembro a ter o vínculo renovado. O Flamengo se precaveu da chance de perder o jogador.

Apesar da oscilação, o clube vê potencial. A avaliação é que os 22 anos também pesaram e ainda há caminho para evolução do jovem.

Já Santos perdeu completamente o espaço. Antes titular absoluto e importante em 2022, começou a ter falhas e ser criticado, perdendo a posição.

O veterano pode deixar o clube. Santos foi procurado por Botafogo e Grêmio, mas ainda não evoluiu neste sentido. O Flamengo, apesar de ver ele como bom goleiro, não deve dificultar uma saída.

O Flamengo deposita esperança em uma joia da base. Dyogo Alves, criado no clube, vai ficar à disposição do profissional e pode evitar que a diretoria precise ir ao mercado para repor uma possível saída.

O jovem é um dos sobreviventes do incêndio do Ninho do Urubu e foi fundamental na vitória do Fla no Brasileirão sub-20. Dyogo adotou esse nome por conta de Diego Alves. Na época do incêndio, ele se identificava como Francisco Dyogo.

VEJA OS NÚMEROS DOS GOLEIROS EM 2023

Rossi - 16 jogos, 8 vitórias, 13 gols contra, 8 jogos sem sofrer gols.

Matheus Cunha - 36 jogos, 21 vitórias, 35 gols contra, 15 jogos sem sofrer gols.

Santos - 24 jogos, 12 vitórias, 30 gols contra, 8 jogos sem sofrer gols.