SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - No mesmo dia em que Ronaldo Fenômeno se esticava para completar cruzamento de Rivaldo e, depois, o próprio Rivaldo convertia pênalti para dar a vitória ao Brasil na estreia na Copa do Mundo de 2002, nascia em Curitiba (PR) Yan Couto. 21 anos depois, o 'filho do penta' faz sua estreia na seleção brasileira.

Yan Couto era a quarta opção para a lateral direita da seleção, mas contou com lesões para ganhar sua chance. Ele foi chamado após o corte de Vanderson, do Monaco (França), mas o UOL ouviu que Dodô, da Fiorentina (Itália), seria opção mais forte para a posição, mas o jogador rompeu o ligamento cruzado do joelho.

O jovem jogador que pertence ao Manchester City (Inglaterra) e está emprestado ao Girona (Espanha) foi chamado para o posto e estreou nesta quinta-feira (12). Ele entrou ainda no primeiro tempo na vaga de Danilo, lesionado.

Yan Couto ainda viu a titularidade cair em seu colo após Danilo afirmar que não está fora da partida contra o Uruguai.

DESEMPENHO E CARREIRA

Yan Couto entrou bem na partida, mesmo diante de um jogo coletivo ruim do Brasil diante da Venezuela. Na segunda etapa, ele chegou a dar passe açucarado para Neymar, mas o camisa 10 bateu por cima do gol.

O lateral foi revelado pelo Coritiba, mas acabou vendido antes mesmo de estrear profissionalmente. Ele foi alvo de disputa entre Barcelona e Manchester City (Inglaterra) se decidiu pelos ingleses após conversar com Pep Guardiola.

Yan Couto ganhou os holofotes após brilhar na Copa do Mundo sub-17, em 2019, quando foi campeão com o Brasil dando assistência para o gol do título aos 49 minutos do segundo tempo.

Já negociado, ele fez dois jogos pelo Coritiba antes de deixar o clube paranaense. Desde então, nunca atuou pelo City e acumula quatro empréstimo conscutivos: jogou um ano no Girona (Espanha), equipe do grupo City, depois passou pelo Braga (Portugal) e retornou ao Girona, onde já está há dois anos.