Na temporada mais disputada dos últimos anos, o brasileiro Gil de Ferran tenta, na madrugada de amanhã, igualar o feito de Emerson Fittipaldi, vencedor da Indy em 1989. O GP da Austrália será no circuito de rua de Surfer’s Paradise, em Gold Coast (Austrália), a partir da uma hora (de Brasília), com transmissão ao vivo do SBT.
Dentre os candidatos ao título, Ferran é o único que pode garantir o campeonato já na etapa australiana, com uma prova de antecedência. Para os outros, resta esperar pelas 500 Milhas de Fontana (Califórnia), daqui duas semanas.
Para ser campeão, o piloto da Penske precisa ampliar sua vantagem para o canadense Paul Tracy, o segundo colocado, em quatro pontos – atualmente ela é de 19. Se Ferran vencer a prova e Tracy for o segundo, o brasileiro tem que torcer para que o rival não ganhe nenhum ponto extra.
Se tivesse confirmaado, na madrugada de hoje, a pole provisória do primeiro dia de treinos, Ferran já acumularia um ponto, ficando mais próximo do título. Além de Ferran, outros dois brasileiros têm chances. Roberto Moreno, que está em terceiro lugar na temporada, com 131 pontos. Para ser campeão, o piloto da Patrick teria que ganhar uma das duas provas que faltam. Além disso, Moreno tem que conseguir pelo menos um décimo lugar na outra corrida, contando que os dois primeiros colocados da classificação geral não marquem pontos. O outro é Hélio Castro Neves, que tem 117 pontos e remotas chances.
Além dos brasileiros e de Tracy, mais cinco pilotos têm chance de conseguir o título: os norte-americanos Michael Andretti e Jimmy Vasser, o mexicano Adrian Fernandez, o colombiano Juan Pablo Montoya – atual campeão – e o sueco Kenny Brack.
Bruno Junqueira – O mineiro Bruno Junqueira pode ser o mais novo piloto brasileiro na Indy. Caso o campeão da F-3000 deste ano assine com a Chip Ganassi, reforçará o ‘‘exército’’ de pilotos do Brasil na categoria (dez disputaram a temporada deste ano).
Junqueira é piloto de testes da Williams e poderia vir para a equipe norte-americana como uma troca de gentilezas entre Chip Ganassi, que está cedendo o colombiano Juan Pablo Montoya para a F-1, e Frank Williams.
Ganassi já avisou que renovará totalmente seus pilotos para o ano que vem. Com isso, Jimmy Vasser, campeão da Indy em 1996, já está procurando outro time. O francês Nicolas Minassian, vice-campeão da F-3000, poderia ser companheiro de equipe de Junqueira.
Além do possível piloto da Ganassi, mais um brasileiro, Max Wilson, estréia na categoria em 2001. Ele pilotará o carro da Sigma, equipe que também irá debutar na próxima temporada. A Sigma, que já disputa a F-Atlantic, pertence ao empresário Tom Wieringa.
Fora os dois, mais sete brasileiros – Gil de Ferran, Hélio Castro Neves, Roberto Moreno, Cristiano da Matta, Christian Fittipaldi, Maurício Gugelmin e Tony Kanaan – já estão garantidos para 2001.