|
  • Bitcoin 111.975
  • Dólar 5,2396
  • Euro 5,5334
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 08/06/2022, 21:19

Felipão acerta na mudança, e Athletico-PR vira sobre Juventude fora de casa

PUBLICAÇÃO
quarta-feira, 08 de junho de 2022


AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - De virada, o Athletico-PR bateu o Juventude por 3 a 1 na noite desta quarta-feira (8), na décima rodada do Campeonato Brasileiro. O time de Caxias jogou melhor, mas Felipão foi preciso em sua primeira alteração, colocando Léo Cittadini, que entrou e deu o passe para Terans marcar o gol da vitória no estádio Alfredo Jaconi.

Os paranaenses foram mais certeiros e conseguiram o triunfo apesar da superioridade do rival. Jadson abriu o placar para o time alviverde aos 37 minutos da primeira etapa e Pablo empatou ainda antes do intervalo, na segunda finalização certa dos visitantes. O Juventude ainda voltou melhor do intervalo, porém Terans, aos 17 minutos, anotou o segundo. Nos acréscimos, Cirino ainda teve tempo de ampliar.

Com o resultado, o clube paranaense assume, ao menos provisoriamente, a segunda colocação da Série A, com 16 pontos. Já o Juventude segue na zona de rebaixamento: com apenas dez pontos, o time está no 18º lugar.

Por volta das 18h, houve um confronto entre as torcidas uniformizadas dos dois clubes. Os membros da Fanáticos, do Athletico-PR, chegaram ao palco do jogo e foram até a sede da Mancha Verde, do Juventude. O conflito teve socos, pedras e barras. Um torcedor de cada time teve que ser transferido para a UPA Central de Caxias do Sul.

Por falta de eletricidade, os refletores do Alfredo Jaconi apagaram um pouco antes das 19h e retardaram o início do jogo. As equipes entraram em campo somente às 18h58 e o pontapé inicial foi dado às 19h05, cinco minutos a mais do horário original.

O time da casa controlou a partida até conseguir marcar o gol, aos 37 minutos da etapa inicial. Em cobrança de lateral direto para a área, Moraes bateu e Jadson aproveitou a falha da zaga na hora de afastar para girar e chutar cruzado para o gol.

Antes de abrir o marcador, o elenco alviverde já havia levado perigo outras duas vezes. Com Foster, aos 20 minutos, e com Vitor Mendes pouco depois. Yuri, aos 13 minutos, acertou a trave em chute de fora da área, porém o árbitro assinalou uma falta antes da batida.

O Juventude teve a chance de ampliar a partida aos 46 minutos. Após escanteio, Vitor Mendes apareceu sozinho na pequena área, contudo mandou para a fora. O castigo veio no lance seguinte, o último da primeira etapa.

A jogada começou com o passe de Cuello para Terans, que lançou para Pablo. O artilheiro deu um leve toque na saída de César e mandou para a rede. O tento foi apenas a segunda finalização certa do clube rubro-negro no duelo.

Assim como foi durante toda etapa inicial, a equipe da casa voltou dos vestiários com mais iniciativa para o jogo. A defesa paranaense afastou mal aos seis minutos, e Vitor Gabriel chutou para o gol, que estava sem goleiro, mas Nico Hernandez desviou para escanteio.

Enquanto os mandantes fizeram três trocas de uma vez aos 16 minutos da etapa final, Felipão foi preciso e mandou Lèo Cittadini a campo na vaga de Pedro Rocha. O meia, na primeira vez que pegou na bola, tocou para Terans que fez o pivô na marcação e bateu cruzado para virar o embate.

O técnico Eduardo Baptista colocou o time gaúcho para frente, mas, na base do abafa, a equipe não ameaçou o goleiro Bento. A melhor oportunidade de empatar veio no levantamento de Rômulo, que Moraes cabeceou para fora.

Quem balançou a rede foi o time paranaense. A equipe já havia levado perigo com Cirino no contra-ataque aos 47 minutos. Dois minutos depois, Cirino veio da direita rolou para Pablo na esquerda. Sem ser fominha, o centroavante passou para Vitor Bueno, que só precisou empurrar para o gol.

JUVENTUDE

César; Paulo Henrique (Rômulo), Vitor Mendes, Rafael Forster e Moraes; Jean (Ricardo Bueno), Yuri, Jadson (Marlon) e Chico Kim (Capixaba); Vitor Gabriel e Isidro Pitta (Óscar Ruiz). Técnico: Eduardo Baptista.

ATHLETICO-PR

Bento; Khellven, Pedro Henrique, Nico Hernández (Matheus Felipe) e Abner; Hugo Moura, Matheus Fernandes (Marcelo Cirino) e David Terans (Vitor Bueno); Cuello (Erick), Pedro Rocha (Léo Cittadini) e Pablo. Técnico: Felipão.

Estádio: Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul (RS)

Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)

Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis e Evandro de Melo Lima (ambos de SP)

VAR: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG)

Cartões amarelos: Jean, Rômulo (JUV); Pablo, Pedro Henrique, Bento (ATH)

Gols: Jadson (JUV), aos 37', e Pablo (ATH), aos 47'/1ºT; Terans (ATH), aos 17', e Cirino (ATH), aos 49'/2ºT.