Jogo que ninguém viu -

Federação pede investigação de jogo fantasma ao STJD e CBF

Partida entre Andraus e Serrano (PB) movimentou milhões em casas de apostas, mas não há nenhuma evidência de que o confronto aconteceu

Lucio Flávio Cruz - Grupo Folha
Lucio Flávio Cruz - Grupo Folha

A FPF (Federação Paranaense de Futebol) encaminhou um pedido de investigação ao STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) e também à Comissão de Ética da CBF sobre o suposto "jogo fantasma" que teria sido marcado pelo Clube Andraus do Brasil, equipe de Campo Largo (Região Metropolitana de Curitiba) e que disputa a Divisão de Acesso do Campeonato Paranaense. 


A denúncia da partida foi veiculada pelo programa Fantástico, da TV Globo, no domingo (17). A reportagem mostrou que o Andraus teria agendado um amistoso que não aconteceu contra o Serrano, da Paraíba, com o objetivo de movimentar bolsas de apostas. Não há nenhuma comprovação de que a partida realmente foi disputada. 



Federação pede investigação de jogo fantasma ao STJD e CBF
Divulgação/Site oficial do Andraus
 



Chama a atenção ainda mais que o confronto seria realizado em meio à pandemia do coronavírus no país, em que todas as atividades do futebol brasileiro estão suspensas. "Por se tratar de um jogo interestadual, a Federação deveria ser comunicada, mesmo sendo um amistoso. Tem que ser informado se haveria ou não cobrança de ingresso, escalação de arbitragem. Foi um jogo que ninguém viu, ninguém sabe de nada", afirmou o presidente da FPF, Hélio Cury.


O dirigente informou ainda que o pedido de providências também será levado à Fifa, além de uma análise do departamento jurídico da entidade sobre possíveis punições ao clube. 


R$ 10 MILHÕES EM APOSTAS

De acordo com a reportagem, no dia 25 de março mais de 200 sites de fora do Brasil receberam apostas do suposto amistoso, que movimentou mais de R$ 10 milhões. O presidente do clube paraibano alegou que o jogo aconteceu, mas nenhum jogador do clube viajou ao Paraná.


O Serrano teria sido representado por jogadores paranaenses que apenas vestiram a camisa da equipe. Não há nenhuma prova de que o jogo aconteceu, além de um anúncio na internet. O Andraus teria entrado em contato ainda com outros três clubes do Nordeste em uma tentativa de agendar outros jogos. 


DEFESA

Em nota, assinada pelo presidente Luiz Gustavo Rodrigues, o Andraus classifica a reportagem como "irresponsável e difamatória" e garante que o jogo-treino foi realizado no CT do clube no dia 25. O comunicado afirma que a equipe paranaense tem vasta documentação que comprova a disputa da partida. O Andraus informa ainda que por ser um jogo-treino maiores formalidades foram dispensadas, mas que o clube seguiu todas as medidas sanitárias exigidas e que o amistoso foi realizado com portões fechados  e, por isso, não houve aglomerações.  


No ano passado, Nadim Andraus Filho, empresário e um dos proprietários do Andraus, também havia sido citado em outra reportagem do Fantástico por supostos atos ilícitos no futebol. Ele apostou na derrota do seu próprio clube e lucrou 250 mil dólares. O jogo em questão foi pelo Paranaense sub-19, quando o Andraus foi derrotado pela Portuguesa Londrinense por 4 a 1. Nadim alegou que o time jogou com atletas reservas, pois já estava eliminado da competição. Na época, a FPF encaminhou pedido de providências ao STJD e à CBF, mas não houve respostas sobre a denúncia. 




Nadim Filho também era conselheiro do Athletico. O clube divulgou uma nota na segunda-feira (18) informando que o empresário pediu o seu desligamento do Conselho rubro-negro. 

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Tudo sobre:


Continue lendo


Últimas notícias