São Paulo, 13 (AE) - O presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF), Eduardo José Farah, vai torcer pelo sucesso de Palmeiras e Corinthians na Taça Libertadores. Mas o dirigente dá um aviso para os dois clubes filiados. "Se Palmeiras e Corinthians, por causa da competição sul-americana, prejudicarem o Paulista, que deixem o campeonato para outras equipes, como a Portuguesa."
Ele está preocupado com a possibilidade do conflito de datas entre o Paulista e a competição sul-americana. Se Palmeiras e Corinthians passarem para a segunda fase da Libertadores, hipótese bem provável, as datas dos dois campeonatos, poderão se chocar, embora a Confederação Sul-Americana de Futebol (CSF) não tenha ainda divulgado a tabela completa da Libertadores, incluindo as oitavas, quartas-de-final, semifinais e finais. "Poderá haver um conflito inevitável de datas com a terceira, semifinal e final do Paulista", adverte Farah.
O dirigente exige dedicação e consideração de todos os participantes. Ele ressalta que a FPF vai pagar a maior gratificação que um clube poderá ganhar por partida nesta temporada no futebol brasileiro. "Cada um dos quatro grandes (Corinthians, Palmeiras, São Paulo e Santos) vai ganhar R$ 700 mil por jogo no regional, desde que atue com a equipe principal", explica o presidente, que não quer time misto na competição organizada pela FPF. "Na Libertadores, Palmeiras e Corinthians deverão ganhar cada um US$ 150 mil por jogo."
Para Farah, não haverá solução se a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) não interceder e fazer com que a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) reveja o calendário da Libertadores.
O dirigente lembra que em setembro do 1999 divulgou o calendário do futebol paulista. Farah disse que a CBF, o Clube dos 13 e as emissoras de televisão, interessadas nas transmissões dos jogos de várias competições, aprovaram o calendário. "Em cima do nosso calendário, a Conmebol apresentou sua programação para a temporada, incluindo a Taça Libertadores", afirma Farah. "Houve descaso da CBF, que não tomou providências, e espero que agora a entidade defenda os interesses dos dois clubes paulistas que estão na Libertadores e poderão ser prejudicados com a coincidência de datas." (D.M.A.)