|
  • Bitcoin 120.596
  • Dólar 5,1649
  • Euro 5,2574
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 15/07/2022, 10:01

Ex-árbitros analisam pênaltis polêmicos de Palmeiras x SPFC

PUBLICAÇÃO
sexta-feira, 15 de julho de 2022

BRUNO MADRID
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O emocionante duelo das oitavas de final da Copa do Brasil entre Palmeiras e São Paulo realizado no Allianz Parque, que acabou com eliminação dos mandantes, ficou marcado por dois pênaltis assinalados por Leandro Vuaden já no 2° tempo da partida.

O árbitro gaúcho marcou, em um período de cerca de cinco minutos, uma penalidade para cada equipe ainda no tempo regulamentar. Melhor para o time do Morumbi, já que Raphael Veiga chutou para fora e, pouco depois, Luciano recolocou a equipe visitante na disputa ao balançar as redes de Weverton.

Mas será que as decisões de Vuaden foram corretas? O UOL Esporte entrevistou ex-árbitros sobre os dois lances.

Para Alfredo Loebeling, a jogada que gerou o pênalti para o Palmeiras —um chute de Dudu em que a bola bateu nos braços de Calleri— foi marcada corretamente.

"O Calleri usa os dois braços e isso não é uma forma de defesa porque ele está de lado, não de frente", classificou o ex-juiz.

José Aparecido, árbitro que ficou famoso nos anos 90, concordou com o ex-colega de profissão e com a decisão de Vuaden. "Em relação ao lance a favor do Palmeiras, foi muito pênalti, pois foram marcados muitos iguais a este em toda a temporada", disse.

Já a penalidade assinalada em cima de Calleri, em jogada ocorrida pouco depois que teve Gustavo Gomez na marcação, causou divergência. Loebeling reafirmou —com ressalvas— sua posição favorável à decisão de Vuaden, que usou o VAR para marcar a infração.

"Sobre o Gomez: há uma ação de braço do Gomez e ela é suficiente para derrubar o Calleri. Não sei por que este lance precisou de VAR. Dá para marcar em campo também", disse o ex-árbitro.

Aparecido, no entanto, não considerou um lance fácil para o árbitro —ele ainda aproveitou para elogiar a postura de Vuaden dentro de campo.

"O pênalti em cima do Calleri gerou um pouco de dúvidas, sendo que o puxão na camisa não seria o suficiente para derrubar [Calleri]. Existiram vários lances até piores que este no decorrer da partida e nada foi marcado. De qualquer forma, é lance de interpretação. Marcou, tudo bem. Se não tivesse marcado, estaria bem também. De qualquer maneira, a arbitragem foi boa, considerando o grau de dificuldade da partida", finalizou.

Sandro Meira Ricci, que representou a "Central do Apito" no SporTV, também avaliou as jogadas. Sobre o lance pró-Palmeiras, o ex-árbitro concordou com Vuaden. "Foi um pênalti muito claro do Calleri, que salta em uma ação de bloqueio e tem um braço fora do corpo. A bola bate na mão direita. Ele bloqueou com a mão e por isso foi pênalti. Foi muito claro e o VAR teve uma excelente atuação", disse ele no "Troca de Passes".

Pouco depois, em relação ao lance pró-São Paulo, Ricci discordou da marcação. "Na minha visão, não houve a penalidade, mas cabe a interpretação. Tem um primeiro contato com o braço [do Gomez] no ombro do Calleri que, na minha visão, é normal. O Calleri puxa a camisa do Gomez. O movimento do Gomez se dá também porque ele está sendo agarrado. Não houve a penalidade, mas é um lance interpretativo e eu entendo a decisão da arbitragem", disse.

IMPEDIMENTO?

O ex-juiz, que hoje trabalha no Grupo Globo, ainda citou outro detalhe: o posicionamento do atacante do São Paulo no momento do lançamento da defesa.

"Pela imagem, o Calleri parece estar adiantado no início da jogada. Teria que ser fornecida a linha de impedimento pelo VAR. A imagem provavelmente não foi traçada, é preciso confirmar essa informação, mas até onde a gente sabe, a linha não foi traçada", falou Ricci.