A primeira rodada do mata-mata das semifinais colocou os arqui-rivais Foz e São Miguel do Iguaçu como favoritos para decidir, mais uma vez, a Divisão Especial (Chave Ouro) do Campeonato Paranaense de Futebol de Salão. As duas equipes decidiram o título do ano passado – São Miguel levou a melhor.
Sábado à noite, no ginásio Sérgio Mauro Festugato, em Cascavel, o Foz venceu o time da casa por 4 a 3 e garantirá vaga na decisão se vencer o jogo de volta, marcado para o próximo sábado à noite, em Foz.
Na outra semifinal, o São Miguel venceu o Missal – time-revelação do campeonato – por 6 a 4, em Missal, na última quinta-feira, e também estará na decisão se vencer o jogo de volta, sábado, em São Miguel do Iguaçu.
Para reverter o favoritismo de Foz e São Miguel, Cascavel e Missal têm de vencer na rodada do próximo sábado. Assim, forçariam a realização de uma terceira partida, que seria disputada no dia 28. Por terem feito melhores campanhas na fase de classificação, Foz e São Miguel sediariam esses jogos-desempate.
Os dois jogos realizados até agora pelas semifinais da Chave Ouro foram bastante disputados e tensos – o que era esperado, já que esta fase é totalmente dominada por equipes do Oeste do Estado. Há muita rivalidade na região. O título de 1998, disputado por Foz e Cavalca & Verona (atual São Miguel/Maggi) até hoje está sub judice devido a muitos problemas ocorridos em quadra.
Em Cascavel – O Cascavel abriu o marcador faltando 7 minutos para o final da primeira etapa, através do artilheiro Arrepio, mas a seguir veio o empate, através de Fabinho, em falha do goleiro Cuca – a bola passou pelo meio de suas pernas. Na segunda etapa, o Foz se avantajou através de Bela, ampliou com Giuliano, Sandro fez o segundo do Cascavel e Bella fez 4 a 2.
Arrepio marcou o terceiro gol do time da casa, e avançou ainda mais na artilharia do campeonato, chegando a 34 gols. O jogo foi marcado por muita confusão entre jogadores e alguns dirigentes, iniciada com reclamações do técnico do Foz, Joel de Locco, que acabou expulso – ele reconheceu ter ‘‘faltado com o respeito com o juiz’’.
No entanto, os cerca de três mil torcedores que estiveram no ginásio viram um jogo sem violência, embora ele tenha sido arduamente disputado. O Dal Ponte Cascavel teve como formação-base Cuca, Sandro, Giba, Arrepio e Fabinho. O Poker Foz, Giuseppe, Chita, Fabinho, Gilmarzinho e Bela. O jogo de quinta-feira em Missal também teve ginásio lotado.