Esquema tático preocupa Levir19/Mar, 18:18 São Paulo, 19 (AE) - A maior preocupação do técnico do São Paulo, Levir Culpi, para o jogo de quarta-feira, contra o Rio Branco, não é a suspensão do meia Edu ou a lesão do atacante França, que pode desfalcar o time. O grande problema de Levir será definir um esquema tático. O empate de sábado, com o União São João de Araras, trouxe uma grande interrogação sobre o assunto. Após vencer o primeiro tempo por 2 a 0 com a formação 3-5-2, Levir ficou sem França e resolveu mudar para o tradicional 4-4-2. Perdeu o meio-de-campo e cedeu o empate. Agora, o treinador precisará definir o melhor esquema para vencer e manter o time na liderança do grupo. No sábado, após o surpreendente empate, os jogadores evitaram criticar o esquema do técnico no segundo tempo, mas não faltaram observações sobre os problemas táticos da equipe na etapa final. "Ficamos muito atrás e não seguramos a bola como devíamos", constatou Edmilson, que foi bem nos primeiros 45 minutos como zagueiro, mas caiu de produção no segundo tempo, quando foi deslocado para o meio-de-campo. Da mesma forma, o meia Edu ficou prejudicado ao ser deslocado para o ataque. Na primeira fase, com maior espaço para se movimentar, ele apareceu bem nos dois lados do campo, puxou bons contra-ataques e até chegou com perigo na grande área. Na segunda etapa, porém, jogando mais adiantado, acabou anulado pela marcação adversária. "O meio-de-campo ficou distante do ataque", constatou Edu. "Também perdemos muito a segunda bola e não marcamos como no primeiro tempo." Levir, porém, preferiu reclamar dos gols perdidos, no primeiro tempo. "As lições são antigas: nunca se pode dar moleza e quem não faz, leva", resumiu. É provável que, jogando em casa, Levir opte pelo esquema ofensivo do primeiro tempo. O problema é que não terá Edu e, talvez, França para acompanhar Evair no ataque. Uma dúvida a mais para Levir, que volta hoje de Belo Horizonte precisando, mais do que nunca, definir um padrão de jogo para o time.