Agência Folha
  São Paulo - A 17 dias do primeiro GP da temporada, duas das principais escuderias da Fórmula-1, McLaren e Williams, resolveram peitar a FIA. Os dois times anunciaram ontem que vão entrar na Justiça contra a entidade máxima do automobilismo. Em uma carta aberta à imprensa e carregada de críticas, eles contestam a imposição de novas regras para o esporte.
  ‘‘As medidas que você [Max Mosley, presidente da FIA] impôs certamente vão reduzir a segurança dos pilotos, ferir os princípios da F-1 e afastar as montadoras da categoria’’, afirma o texto.
  Williams e McLaren acusam Mosley de ter criado regras sem consultar as equipes e citam algumas das determinações divulgadas nas últimas semanas, como a eliminação total da telemetria a partir de 2004 e o confinamento de todos os carros entre as 18 horas de sábado e as 8 horas de domingo.
  De acordo com o Pacto da Concórdia, contrato que rege as relações entre os times, o recurso das duas equipes inglesas terá que ser encaminhado à Câmara Internacional de Comércio, em Lausanne, que o julgará segundo suas regras de conciliação e arbitragem.
  A FIA respondeu com frieza ao documento das escuderias. ‘‘Tudo foi discutido anteriormente nos termos do Pacto da Concórdia. A FIA confia que suas decisões serão mantidas’’ comentou, secamente, a entidade ao site inglês ‘‘Grandprix’’, dos mais respeitados na Europa.