Escuderias já agitam Interlagos19/Mar, 17:44 Por Valéria Zukeran São Paulo, 19 (AE) - Quatro escuderias chegaram hoje ao Autódromo de Interlagos, onde começaram os trabalhos de montagem nos boxes para o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1. Os carros da McLaren e da Williams já estão no local e os mecânicos deverão iniciar a montagem dos veículos a partir de amanhã. A BAR, escuderia de Ricardo Zonta, e Arrows ainda não receberam seus carros, mas a grande parte de seus equipamentos chegou, permitindo o começo das atividades. A chegada da maioria dos carros e das escuderias está prevista para amanhã. Hoje foi dia de trabalho pesado nos boxes, com os integrantes das equipes retirando todos os materiais dos baús. Os carros permaneceram cobertos e praticamente intactos. As atividades começaram em ritmo acelerado, impressionando as poucas pessoas que estiveram no local para ver de perto, ainda que cobertos, os novos modelos dos veículos para esta temporada. "Não pensei que eles trabalhassem tanto", disse a estudante Heloíza Possebom, que viu hoje um carro de Fórmula 1 pela primeira vez. "Tudo é muito maior do que eu imaginava vendo televisão." A fã automobilismo não perdeu a oportunidade de gravar em vídeo a experiência e lamentou não ter visto Rubens Barrichello ou a Ferrari que irá pilotar no GP, no Domingo. Heloísa veio com o pai, Edmar Ribeiro, que é motorista das carretas que transportam carros e equipamentos para Interlagos. "É a época do ano mais tranquila para mim, porque as distâncias são curtas e posso estar mais junto da minha família." A quantidade de trabalho a ser feito em um boxe para uma corrida de Fórmula 1 também chamou a atenção do estudante César Moreira do Nascimento, primo de Heloísa. "Estou impressionado de ver como tudo é organizado e como o povo é esforçado", diz. A torcida é para que no dia do GP, Barrichello consiga uma vitória. "Espero que ele ganhe porque até agora só tem conseguido ficar em segundo." Acompanhar a chegada dos primeiros carros de Fórmula 1 em Interlagos foi o programa da família de Adalto Costa e Silva. "Sou piloto de Fusca e aproveitei para trazer o pessoal aqui hoje", diz Adalto. Zenaida Pereira da Silva, mulher do piloto ficou impressionada com o tamanho dos boxes e dos carros. "Não pensei que fossem tão grandes e tudo aqui é muito organizado." Apesar de entusiasmado com a experiência de estar perto de tudo o que costuma ver pela TV, Phelipe da Silva, filho de Adalto, voltou para casa sem realizar seu grande desejo: ver Rubens Barrichello e a Ferrari. "Eu gosto mais de carro", explica o menino em uma mistura de empolgação e timidez.