Equador reconhece ser coadjuvante


Janaina Tupan Frare
De Londrina


O técnico da seleção equatoriana, Alfredo Encalada, disse ontem à tarde à Folha, que trouxe a sua equipe para disputar o Pré-Olímpico, em Londrina, com a finalidade de dar mais experiência aos seus jogadores. ‘‘Seria uma irresponsabilidade minha se deixasse meu país esperando a classificação olímpica’’, diz. ‘‘Não temos condições de chegar lᒒ, reconhece.
A seleção equatoriana está reunida há aproximadamente 30 dias, já que o campeonato nacional daquele país acabou em dezembro, quando os jogadores foram finalmente liberados por seus clubes para se dedicar à seleção.
No período de preparação para o Torneio, os equatorianos perderam três jogos amistosos consecutivos. Foram dois jogos contra o Peru e duas derrotas, 1 a 0 e 2 a 0. O último amistoso aconteceu na semana passada, contra a seleção principal do Irã, e os equatorianos voltaram a perder. Mas, desta vez, marcaram um gol. O resultado do jogo foi 2 a 1.
Mesmo dizendo que não tem chances de chegar à final, Encalada não deixa de mostrar entusiasmo.‘‘Vamos fazer de tudo para chegar o mais longe possível’’, diz. E o goleiro Edwin Villafuerte confirma: ‘‘No campo, são 11 contra 11. Vamos jogar.’’
E foi isso que fizeram ontem à noite no campo do PSTC, no bairro do Limoeiro, região leste de Londrina. O Equador entrou em campo já com a seleção titular definida. No gol, Villafuerte. Na defesa, Marlon Moreno, Francisco Gomez, Bolivar Gomez e Neicer Reasco. Os volantes Edison Mendez, Jairon Zamora, Moises Candelario e Eddy Alvarado também estão entre os titulares. No ataque, o novato Walter Corozo, de apenas 17 anos e Ivan Kaviedes, 21, que chegou na cidade ontem à tarde.