|
  • Bitcoin 122.108
  • Dólar 5,0643
  • Euro 5,2241
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 07/08/2022, 14:54

Emoção em branco e preto

O caso da paranaense que viralizou após ser impedida de homenagear o pai, já falecido, num Corinthians x Santos na Neo Química Arena

PUBLICAÇÃO
sábado, 30 de julho de 2022

Edson Neves - Especial para a FOLHA
AUTOR autor do artigo

menu flutuante
Passados pouco mais de um mês da realização de um sonho, a professora de Educação Física Vanessa Tavares continua com a sensação de que ainda não despertou. No dia 25 de junho, a paranaense natural de Ortigueira (a 130km de Londrina) assistiu ao jogo do seu time do coração, Corinthians, contra o Santos, na Neo Química Arena, pela 14ª rodada do Brasileirão. 
Imagem ilustrativa da imagem Emoção em branco e preto Imagem ilustrativa da imagem Emoção em branco e preto
|  Foto: Divulgação
 

Até aí pode parecer uma história comum. Mas no caso de Vanessa, havia todo um simbolismo por trás. Santista, seu pai Geraldo havia falecido no mesmo dia de um Santos x Corinthians, em 11 de setembro de 2016, com vitória do Peixe por 2 a 1. Ele, que acendeu o fogo da paixão pelo futebol em Vanessa e nas outras três irmãs, também incentivava a prática do futebol feminino, sem os holofotes dos dias atuais. E a sua ida até o estádio do Timão veio em homenagem a quem lhe ensinou tudo isso.

"Quando olhei a tabela já pensei: 'é este jogo que tenho que ir'", conta à FOLHA. Numa excursão e sem nenhuma companhia, Vanessa até pensou em desistir. "Mas coloquei na minha cabeça que ia prestar essa homenagem. E aí tive a ideia do cartaz. Era um sonho. A primeira vez tinha que ser em um Corinthians x Santos", diz.

Após cerca de 10 horas em uma viagem de ônibus, a chegada ao estádio foi marcada por um episódio triste, já que a Polícia Militar de São Paulo não autorizou a entrada de Vanessa com o cartaz homenageando o pai. "Quando o policial disse que não podia, eu chorei muito. Muito mesmo. Abri o cartaz, mostrei que não tinha nada ofensivo escrito. Muita gente se solidarizou e tentou convencer o PM, mas não teve jeito", relata Vanessa, que deixou o cartaz guardado em uma loja oficial do clube. 

Rapidamente o episódio envolvendo Vanessa viralizou nas redes sociais e chegou até a imprensa que cobria o jogo, que terminou em 0 a 0. Logo, a torcedora conta que começou a receber mensagens de diversas pessoas, inclusive do próprio Corinthians. "Aí comecei a chorar de novo, desta vez de emoção", brinca. A partir daí, entrevistas para inúmeros veículos de comunicação e aparições na TV em rede nacional. “Quando fiz o cartaz, pensei apenas em conseguir que a câmera flagrasse e passasse na TV para eu poder contar que estava lá por causa do meu pai. Mas tomou uma proporção tão grande que o nome dele ecoou por todos os cantos do futebol”, comemora.

INSPIRAÇÃO

Morando em Londrina há quatro anos, Vanessa já se prepara para repetir a experiência. “Ganhei de uma excursão de Apucarana uma ida ao estádio no dia do clássico contra o Palmeiras (13 de agosto), mas não conseguirei ir por um evento do trabalho, mas estou me organizando para ir no jogo contra o Internacional, em setembro”, afirma.

Por fim, a filha do santista Geraldo disse carregar um sentimento de inspiração para outras pessoas. “Muita gente veio falar comigo pelas redes sociais dizendo que se identificou com a minha história, mandando foto e vídeo emocionadas. Eu me senti muito acolhida. A própria torcida do Corinthians abraçou minha história. Chegou tão longe por causa dela. Eu eternizei meu pai naquele momento”, finaliza.

E Vanessa ainda deixou um recado lindo no TikTok: 

@vanessaacorintiana Matéria linda para Folha de Londrina. #londrina #corinthians #santos #neoquimicaarena #folhadelondrina #jornalismo #viral #fyp ♬ som original - Vanessa Tavares

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1