|
  • Bitcoin 120.733
  • Dólar 5,0906
  • Euro 5,2449
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 31/07/2022, 18:34

Em retorno de Alex Teixeira, Vasco e Chape ficam no empate em São Januário

PUBLICAÇÃO
domingo, 31 de julho de 2022


AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Em jogo marcado pelo retorno de Alex Teixeira, que vestiu a camisa do Vasco pela primeira vez nesta nova passagem pelo clube, o time cruz-maltino e a Chapecoense ficaram no empate sem gols, em São Januário, pela Série B do Campeonato Brasileiro. Nenê foi expulso no fim da partida.

Com o resultado, o Cruz-Maltino chegou a 39 pontos, sete atrás do líder Cruzeiro. A Chape, por sua vez, permanece com 24 e vê a possibilidade de os times da zona de rebaixamento se aproximarem.

Na próxima rodada, o Vasco visita a Ponte Preta, no dia 9, enquanto os catarinenses recebem o Novorizontino no dia 10.

QUEM FOI BEM: RONEI

O lateral da Chapecoense conseguiu cumprir bem o papel na marcação e protagonizou um dos lances mais perigosos do jogo, obrigando Thiago Rodrigues a fazer boa defesa.

QUEM FOI MAL: GABRIEL PEC

O atacante do Vasco não esteve em um bom dia. Ele teve dificuldades na construção ofensiva, parando na marcação, e também para acompanhar os avanços adversários.

REESTREIA DO CRIA

Alex Teixeira começou como opção no banco e foi acionado aos 15 minutos do segundo tempo. A entrada do camisa 7 foi bastante festejada pelos torcedores, que já pediam pelo meia-atacante desde o início da partida. Cria do Cruz-Maltino, ele retornou após 12 anos e foi a grande contratação do clube nesta janela de transferência.

O JOGO DO VASCO

O Vasco entrou em campo com a mesma estrutura com a qual havia vencido o CRB na última quinta-feira, com exceção de Gabriel Dias na vaga de Léo Matos. Mas, diferentemente daquele jogo, a equipe, no primeiro tempo, teve muitas dificuldades de conseguir quebrar a marcação adversária, e pouco criou. Com as entradas de Alex Teixeira e Eguinaldo, o Vasco ganhou um pouco mais de movimentação e teve um momento de pressão, mas, ainda assim, com obstáculos para ser mais vertical. No fim, com Nenê expulso, a estratégia foi de ter a bola e tentar ocupar espaços no campo.

O JOGO DA CHAPE

A Chapecoense foi a São Januário com a estratégia de implementar linhas de marcação bem definidas, e apostas nas saídas em velocidade. Em um lance, achou espaço nas costas da defesa do Vasco, mas, no geral, acabou cometendo alguns erros de passe e decisão. No decorrer do segundo tempo, Cabo mudou a estrutura do meio de campo, e reforçou um pouco mais a marcação na intermediária, em uma tentativa de segurar o ímpeto que o Vasco demonstrou em certo momento do jogo.

CRONOLOGIA

O jogo começou morno e sem grandes chances de gol. O Vasco tentou fazer uma pressão inicial, mas esbarrou na marcação da Chapecoense. O time de Marcelo Cabo, tentava as saídas em velocidade, mas errava bastante na construção. Assim, o duelo ficou um pouco mais preso entre as intermediárias, e quando rondava alguma das áreas, as equipes não eram efetivas.

PRIMEIRA GRANDE CHANCE

A primeira boa chance foi da Chapecoense. Ronei recebeu nas costas da defesa e com espaço, avançou e bateu cruzado. Thiago Rodrigues conseguiu mandar para escanteio.

DEIXOU O CAMPO CHORANDO

Ainda no primeiro tempo, Gabriel Dias sentiu um incômodo no joelho direito e teve de ser substituído. Ele deixou o gramado aos prontos e foi consolado por comissão técnica e companheiros. Recentemente, o lateral foi desfalque justamente devido a uma dor no tendão patelar direito.

MOVIMENTAÇÃO

A volta do intervalo reservou um jogo mais movimentado, mas, ainda assim, sem grandes chances. O Vasco continuava tropeçando marcação da Chape, e os catarinenses falhavam no campo de ataque.

ELE VOLTOU!

Para a festa dos torcedores presentes, Emílio Faro colocou Alex Teixeira no decorrer do segundo tempo. A entrada do camisa 7 e de Eguinaldo deu um pouco mais de movimentação ao Vasco, mas que ainda não conseguia achar espaços.

JOGO MAIS QUENTE

Quando caminhava para a reta final, o jogo ficou mais quente, com faltas duras e princípios de confusão, com empurra-empurra entre os jogadores. Houve também muita reclamação dos vascaínos quanto a um pênalti sobre Eguinaldo — a arbitragem mandou o jogo seguir.

NENÊ EXPULSO

O camisa do 10 do Vasco foi expulso no fim do jogo. Após falta, ele recebeu amarelo e, ao continuar a reclamação, recebeu o segundo cartão amarelo.

VASCO

Thiago Rodrigues; Gabriel Dias (Léo Matos), Quintero, Anderson Conceição e Edimar; Yuri Lara (Marlon Gomes), Andrey Santos e Nenê; Figueiredo (Alex Teixeira), Gabriel Pec (Palacios) e Raniel (Eguinaldo). Técnico: Emílio Faro (interino)

CHAPECOENSE

Saulo; Ronei, Léo, Victor Ramos e Fernando; Matheus Bianqui, Lima (Claudinho), Felipe Ferreira (Pablo Oliveira) e Alisson (Jonathan); Chrystian (Luizinho) e Perotti (Kevin). Técnico: Marcelo Cabo

Local: São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)

Árbitro: Douglas Marques das Flores (SP)

Assistentes: Evandro de Melo Lima (SP) e Evandro de Melo Lima (SP)

VAR: Vinicius Furlan (SP)

Cartões amarelos: Emílio Faro (técnico), Pec, Yuri, Anderson Conceição, Palacios, Nenê (VAS); Fernando, Victor Ramos, Luizinho, Matheus Bianqui (CHA)

Cartões vermelhos: Nenê, do Vasco, aos 42'/2ºT