|
  • Bitcoin 103.936
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5605
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 14/06/2022, 17:39

Em bom momento com Mano Menezes, Inter defende vaga no G4 contra o Goiás

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 14 de junho de 2022

MARINHO SALDANHA
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

PORTO ALEGRE, RS (UOL/FOLHAPRESS) - O Internacional mudou de patamar. Se antes a torcida temia por um Campeonato Brasileiro lutando contra o rebaixamento, desde a chegada de Mano Menezes o time se estabilizou e agora está entre os primeiros colocados da competição. A nova realidade tem muito a ver com a troca de comando e se reflete dentro de campo.

Abrindo o G4, com 18 pontos em 11 jogos, o Inter agora se prepara para enfrentar o Goiás, nesta quarta-feira (15), às 20h30, no estádio da Serrinha, em Goiânia (GO), pela 12ª rodada da competição.

"Não sabemos onde podemos chegar. Quando eu cheguei [ao Inter], muita gente falava que o Inter jogaria para não cair. A avaliação não pode mudar tão rapidamente, porque o futebol é dinâmico. Mas temos que ter cuidado e inteligência para não nos levarmos por uma empolgação, porque é cedo e a amostragem é pequena. Mas é gostosa. A amostragem é motivadora, aumenta a confiança, claro que sim. Se fosse o contrário, todos estaríamos preocupados em não enxergar um caminho. Me parece que o momento nos mostrou o caminho que podemos seguir. Onde ele irá nos levar? Não sabemos porque é muito cedo. Para todos, não só para o Inter", disse o técnico após a vitória sobre o Flamengo, no último sábado (11).

Antes da chegada de Mano Menezes, o Inter era um grande ponto de interrogação. Com Alexander Medina, não havia um padrão de atuação. Muitas trocas em vários setores ocasionavam dúvidas sobre qual jogador poderia ocupar cada função.

O rendimento em campo também era muito abaixo do esperado. Com poucos momentos positivos ao longo de todo início do ano, o time colorado amargava eliminações pesadas, como a da primeira fase da Copa do Brasil contra o Globo-RN, e a semifinal do Gauchão contra o Grêmio, levando 3 a 0 em casa no jogo de ida.

Repetidamente, o time sofria com improvisações. E desde a chegada de Mano, isso não aconteceu mais. Além disso, atletas como Rodrigo Dourado e Rodrigo Moledo ganharam mais espaço. Alan Patrick acrescentou qualidade ao meio, Renê estancou o vazamento pela esquerda, e a equipe cresceu.

O Inter, então, ganhou padrão coletivo. Atualmente, o time cresce dentro de um mesmo desenho tático, marcando com duas linhas de quatro jogadores e utilizando três mais adiantados na fase ofensiva dos jogos.

A grande alteração da equipe, porém, veio na defesa. Um pouco mais recuado e defendendo a meta de Daniel com mais gente, o clube gaúcho acabou com a chuva de gols sofridos que atrapalhava a conquista de resultados desde o início da temporada. Mano, como ele mesmo disse, primeiro solidificou o setor de retaguarda, deu padrão para a equipe e, agora, aos poucos passa a acrescentar situações ofensivas.

Se o time em campo não rendia até a chegada de Mano Menezes, fora dele também havia sinais claros de problemas. A relação entre jogadores e torcida era muito ruim, com vaias a vários atletas do elenco. Os aficionados já pouco compareciam aos jogos, sem qualquer esperança de melhora.

Aos poucos, Mano estabeleceu uma relação de parceria com o grupo, mostrando necessidades e apoiando evoluções. Segundo apurou a reportagem, o discurso direto e verdadeiro com os atletas pesou na retomada do vestiário vermelho.

E passo a passo alguns quadros melhoraram. Rodrigo Dourado, por exemplo, já recebe menos cobranças do que antes. O mesmo vale para Edenilson.

Arrumando o time e retomando as rédeas do vestiário, restava apenas uma ponta para o crescimento da equipe: resultados. E isso levou algum tempo. Mano, primeiro, ao consolidar a equipe defensivamente, conseguiu evitar as derrotas, mas faltavam boas vitórias.

Na Sul-Americana elas vieram, afastando a ameaça real de não passar da fase de grupos deixada por Medina. Contudo, no Brasileiro demorou mais. O Inter teve uma série de empates e, ainda que invicto, derrapava na tabela.

O último ato veio apenas nas rodadas mais recentes, quando os triunfos contra Red Bull Bragantino e Flamengo, combinado com o empate fora de casa contra o Santos, catapultaram o time colorado ao quarto lugar na classificação.

Mano segue sem perder no reservado vermelho. São 13 jogos, com seis vitórias e sete empates. O Inter não sabe o que é derrota há 15 partidas, contando o último empate de Medina e a vitória sob comando de Cauan de Almeida, auxiliar técnico permanente do time gaúcho.

DESFALQUES E ESCALAÇÃO

Em preparação para a próxima rodada, o Internacional ganhou uma baixa de última hora. Na manhã desta terça-feira (14), o clube informou que o lateral esquerdo Renê para por duas semanas em razão de uma lesão muscular na coxa esquerda. Moisés é o substituto natural. Já Rodrigo Dourado é dúvida graças a um desconforto na coxa direita.

Caso Dourado não jogue, Johnny é o mais cotado para ser parceiro de Gabriel na marcação. Edenilson, que cumpriu suspensão, volta naturalmente ao meio-campo.

Por outro lado, De Pena e Taison, suspensos, não atuam contra o Goiás. Wanderson participou da atividade no CT Parque Gigante e deve jogar.

Uma provável escalação inicial do Inter tem: Daniel; Bustos, Vitão, Mercado e Moisés; Gabriel, Dourado (Johnny), Edenilson, Wanderson e Alan Patrick; David.

Do lado anfitrião, o Goiás chega à partida buscando uma melhora após dois empates consecutivos. O time ocupa a 14ª posição, com 14 pontos em 11 jogos.

Um dos principais obstáculos do técnico Jair Ventura é a lista de nomes no departamento médico: os atacantes Nicolas e Apodi se machucaram na partida contra o Botafogo, na nona rodada, e não devem jogar; Sidimar sentiu a panturrilha esquerda no aquecimento da última rodada, e é dúvida; também na última partida, o atacante Vinícius foi substituído após sentir desgaste muscular, e o lateral-direito maguinho sofreu corte na cabeça quando levou um pênalti; ambos são dúvidas entre os relacionados. Felipe Bastos tomou o terceiro cartão amarelo, e cumpre suspensão.

Em compensação, o atacante Dadá Belmonte, que cumpria suspensão, e o meia Diego, que se recuperava de lesão na coxa, estão à disposição. Uma provável escalação do Goiás tem: Tadeu; Sidnei, Reynaldo e Caetano; Douglas (Maguinho), Caio Vinícius, Matheus Sales, Elvis e Danilo Barcelos; Dadá Belmonte e Pedro Raul.

Estádio: Serrinha, em Goiânia (GO)

Horário: Às 20h30 (de Brasília) desta quarta-feira (15)

Árbitro: Caio Max Augusto Vieira (RN)

VAR: Vinicius Furlan (SP)

Transmissão: Premiere