A CPI do Futebol inicia hoje a série de depoimentos agendados. Antes de convocar os supostos envolvidos em irregularidades, os senadores optaram por obter informações oficiais do governo. Por isso, hoje, após a Ordem do Dia do Senado (por volta das 16 horas), os senadores vão ouvir o chefe do Departamento de Combate à Ilícitos Cambiais e Financeiros (Decif) do Banco Central, Ricardo Liao.
O chefe do Decif está comandando investigações sobre sonegação cambial praticada por clubes e empresários na venda de jogadores a clubes estrangeiros. O Vasco já foi multado em R$ 2 5 milhões por fraude cambial na venda do jogador Bebeto ao La Coruña, da Espanha.
Amanhã, será a vez do ministro da Previdência Social, Waldeck Ornelas. Ele entregará a lista dos clubes devedores. A sonegação chega a R$ 180 milhões, apesar de os clubes beneficiarem-se de subsídios previdenciários. Pelas contas do ministro, 85% dos R$ 62 milhões anuais de subsídios ficam com os 20 maiores clubes, a maioria do eixo Rio-São Paulo.
A CPI da Nike na Câmara também terá atividades nesta semana. Hoje, os deputados fazem reunião preparatória da sessão de amanhã, quando serão votadas as convocações dos depoentes. Na lista estão o presidente da Nike, Kevin Gosney, e o da Traffic, J. Hawilla. Além dos empresários Juan Figger, um dos mais atuantes no futebol, e Elena Landau, ex-integrante do governo que agora está trabalhando com esporte.