O técnico do Palmeiras, Marco Aurélio, já reconheceu que não há como negar que o meia Lopes, apanhado no exame antidoping para cocaína após a partida contra o Atlético-MG no último dia 14, consumiu a droga. ‘‘O erro existe. O teste não falha. Resta saber se foi voluntário ou não’’, afirmou ontem o treinador. O jogador, que só deverá voltar aos treinos na segunda-feira, ainda sustenta a versão de que não consumiu cocaína.
Lopes está afastado preventivamente por 30 dias. O julgamento dele, na 2ª Comissão Disciplinar, ainda não foi marcado. Se for condenado, o jogador pegará de 120 a 360 dias de suspensão.
Para a partida de amanhã contra a Portuguesa, no Canindé, pela Copa João Havelange, o treinador palmeirense não contará com o zagueiro Thiago Matias, que está suspenso. No lugar dele, deverá entrar Paulo Turra, que não participou do último jogo, contra o Cruzeiro, por ter cumprido suspensão. O outro titular da zaga deverá ser Gilmar, recuperado de lesão.
O presidente do Palmeiras, Mustafá Contursi, se reuniu com o departamento jurídico do clube e exigiu o máximo empenho na defesa de Lopes. Mustafá ficou profundamente irritado com o caso de doping no mesmo dia em que o Conselho Deliberativo aceitou o patrocínio da ISL para o próximo ano.