|
  • Bitcoin 144.911
  • Dólar 4,8801
  • Euro 5,1549
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 30/04/2022, 21:22

Cruzeiro martela, marca no final contra Chape e entra no G4 da Série B

PUBLICAÇÃO
sábado, 30 de abril de 2022


AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O Cruzeiro venceu a Chapecoense por 2 a 0 e chegou ao G4 da Série B do Brasileiro. A vitória na noite deste sábado (30), na Arena Condá, garante que o clube mineiro irá terminar a quinta rodada na zona de acesso.

Depois de um primeiro tempo de poucas emoções, o Cruzeiro melhorou e atacou mais no começo da segunda etapa. A melhora foi recompensada aos 37, quando Geovane marcou o gol que garantiu o triunfo. Aos 44 minutos, Edu deu números finais ao confronto.

Com o resultado, o time mineiro ultrapassa a Chapecoense e chega aos dez pontos, mas fica atrás de Grêmio e Bahia pelos critérios de desempate. Já a equipe catarinense cai para a quarta colocação, com oito pontos ganhos.

Chuva, campo pesado e pouco futebol. Assim como no empate sem gols diante do Vasco, na terceira rodada, as condições da Arena Condá prejudicaram os dois times, favorecendo mais uma partida de baixo nível técnico, com poucas jogadas ofensivas e chances de gol escassas.

Mesmo atuando em casa, a Chapecoense manteve uma formação defensiva. A solidez na zaga não permitiu que o ataque do Cruzeiro chegasse com facilidade, fazendo com que o Edu ficasse isolado na frente. Com isso, a equipe mineira pouco levou perigo ao gol de Vagner.

Com 60% de posse de bola, o clube mineiro até ficou no campo de ataque, contudo não finalizou na direção do gol. A melhor oportunidade veio aos 23 minutos, quando Zé Ivaldo arriscou de longe e a bola passou à esquerda do gol de Vagner.

Depois dos 40 minutos de bola rolando, os mandantes, enfim, saíram para o jogo. Aos 44, Ronei acertou uma bomba pelo lado direito, de fora da área, e obrigou o goleiro Rafael Cabral a fazer uma grande defesa para evitar que a bola fosse ao ângulo.

Após o vestiário, o técnico Gilson Kleina voltou para o segundo tempo com duas mudanças na Chapecoense, que passou a atuar no 3-5-2. O atacante Maranhão saiu para a entrada de Xandão, zagueiro. Na outra, mudança entre os volantes: Betinho, que tinha levado amarelo no final da etapa inicial, deu a vaga para Guilherme Rend.

A formação mais defensiva ajudou o Cruzeiro, que teve duas chances claras nos primeiros cincos minutos. Jajá deixou Léo no chão bateu de bico para a defesa de Vagner aos três. Pouco depois, Luvannor concluiu mal, mas a bola ficou com Edu, que passou pelo goleiro Vagner e bateu para fora.

Com 13 do segundo tempo, Gilson Kleina colocou dois atacantes na Chapecoense para tentar reequilibrar a equipe. Varanda entrou na vaga do meio-campista Lima e Derek veio na posição do também atacante Perroti. As mudanças, no entanto, não seguraram o ímpeto do Cruzeiro, que seguiu no campo ofensivo.

O goleiro Vagner chegou ao quinto jogo seguido, depois de ficar quase três anos sem atuar. Ele espalmou o chute de Zé Ivaldo aos 13 e a conclusão de Jajá, aos 16. No entanto, sofreu com dores na caixa e precisou de atendimento uma vez no primeiro tempo e outra no segundo.

Na metade do segundo tempo, o Cruzeiro diminuiu seu ímpeto ofensivo, até pela chuva que voltou com força. No entanto, aos 37 minutos, Rafael Santos cruzou e a zaga afastou mal. Geovane, no rebote, bateu firme e não deu chances de defesa para Vagner.

Aos 44, o clube mineiro ainda ampliou com Edu. Adriano lançou para Geovane, que cruzou para Edu. O centroavante chutou de primeira e contou com o desvio na marcação para vencer Vagner e anotar o segundo do time mineiro.

As duas equipes voltam a campo pela sexta rodada da Série B. Na quinta (5), às 21h30, a Chape visita o Brusque. Já no domingo (8), às 16h, o Cruzeiro recebe o Grêmio no Mineirão.

CHAPECOENSE

Vagner; Ronei, Léo, Victor Ramos e Fernando; Betinho (Guilherme Rend), Matheus Bianqui e Lima (Rodrigo Varanda); Orejuela (Jonathan), Perotti (Derek) e Maranhão (Xandão). T.: Gilson Kleina.

CRUZEIRO

Rafael Cabral; Zé Ivaldo, Lucas Oliveira e Eduardo Brock; Léo Pais (Geovani), Willian Oliveira, Neto Moura (Adriano) e Bidu (Rafael Santos); Jajá (Daniel Junior), Luvannor (Rodolfo) e Edu. T.: Paulo Pezzolano.

Estádio: Arena Condá, em Chapecó (SC)

Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)

Assistentes: Daniel Paulo Ziolli e Luiz Alberto Andrini Nogueira (ambos de SP)

VAR: Daniel Nobre Bins (RS)

Cartões amarelos: Betinho, Xandão, Gilson Kleina (CHA); Rodolfo (CRU)

Gols: Geovane (CRU), aos 37', e Edu (CRU), aos 44'/2ºT.