Cruzeiro: cai ou não cai?

Na última rodada do Brasileirão, time tem que vencer o Palmeiras e torcer por derrota do Ceará para evitar rebaixamento inédito

Reportagem local
Reportagem local

Cruzeiro: cai ou não cai?
Raul Pereira/Fotoarena/Estadão Conteúdo
 




Com o campeão brasileiro e os oito representantes da Libertadores já definidos, além de três rebaixados, a última rodada do Brasileirão tem como importância a possibilidade de definir a queda inédito do Cruzeiro para a Série B. Após a derrota por 2 a 0 para o Grêmio, na última quinta-feira (5), no encerramento da 37ª rodada, o clube bicampeão da Libertadores (1976 e 1997) e três vezes campeão brasileiro na era dos pontos corridos (2003, 2013 e 2014) não depende apenas das suas forças para evitar a queda. Precisa vencer o Palmeiras neste domingo (8), às 16h, no Mineirão, e torcer para o Ceará perder para o Botafogo no mesmo horário no Engenhão. O Cruzeiro é o 17º colocado, com 36 pontos, enquanto os cearenses estão em 16º, com 38, mas duas vitórias a mais, que é o primeiro critério de desempate.


Para cumprir a tarefa, o Cruzeiro precisará superar problemas internos no elenco e uma crise administrativa. O meia Thiago Neves foi afastado na última semana após ter sido flagrado em uma festa enquanto se recuperava de lesão. Logo após a derrota para o Ceará, a quarta seguida na competição, o lateral-direito Edílson criticou a diretoria e os próprios jogadores, mas pediu para a torcida manter a confiança até o final.




"Muita coisa errada no Cruzeiro neste ano. Mas trabalhamos dia a dia, temos muita força. Podemos sair desta situação. Eles (torcedores) estão nesta situação por nossa causa, por tudo o que a diretoria fez durante o ano. Quero que eles acreditem porque podemos sair desta situação", comentou o experiente jogador. Além dele, o goleiro Fábio e o volante pé-vermelho Henrique, de Cambé, são outros dos jogadores mais rodados do time celeste.


"(O Cruzeiro) Deixou para o último jogo. A gente acredita, o torcedor acredita, nós acreditamos. Nesse momento, pedimos que o torcedor acredite em nós. Temos um último jogo. Depois eles podem vaiar e fazer o que quiser", completou Edílson


O zagueiro Cacá entende que a situação não é nada fácil, mas também mostrou confiança. "Ainda não acabou. Temos chance. É levantar a cabeça. Vai ser mais uma final. Manter o foco. Concentrar esses dias e buscar a vitória. Não tem outro jeito. Só nos interessa a vitória. Está difícil, mas temos que sair dessa", apontou o defensor.


Já de olho em 2020, o Palmeiras joga para tentar roubar a vice-liderança do Santos. Ambos têm 71 pontos cada. A goleada por 5 a 1 sobre o Goiás na rodada anterior deixou o torcedor alviverde esperançoso após a excelente atuação de Gabriel Veron, que fez dois gols e deu uma assistência. O time segue sendo comandado interinamente por Andrey Lopes até a definição de um novo treinador. (Com agências) 




Continue lendo


Últimas notícias